quinta-feira, 11 de setembro de 2008

11 de Setembro


Há sete anos eu estava sentada no sofá da casa da minha mãe. Eu era uma estudante do 1º ano do ensino médio e minha escola estava de greve. Eu não trabalhava ainda, não tinha contas pra pagar. Eu estava numa terça-feira de manhã, muito tranquila assistindo desenho animado na tv. E eu vi. Vi pelo Plantão da Globo, vi por todos os noticiários, por todos os canais, até por que o desenho que eu estava assistindo não passou mais.

Foi assim por muitos dias, o pânico de novos ataques, o medo da guerra, do desconhecido, dos homens-bomba, de Osama Bin Laden. Depois de sete anos... Não, não mudou muita coisa. Exceto que todos já sabem que a Guerra do Iraque não resolveu os problemas por lá, como George Bush tanto alardeou. Pior, nem mesmo os "daqui", do ocidente, melhoraram em alguma coisa. Continuamos com medo. Da guerra, do desconhecido, dos homens-bomba e de Osama Bin Laden.

As únicas pessoas que realmente sabem o que o 11 de setembro significa são as famílias das vítimas. Pra nós, pra mim e pra você que está lendo esse texto é só mais uma história triste. Como a dos quase 200 mortos no vôo da Tam ano passado. Só quem acaba sofrendo no final das contas é quem perdeu seu pai, mãe, irmão, amiga, esposa. É quem foi pra guerra absurda, de um governante prepotente, de uma nação abalada e voltou com sequelas. É a família de quem nem voltou. 

Meu minuto de silêncio hoje é pra todos vocês que realmente sabem o que siginifica o 11 de setembro.

Um comentário:

Livia Karen =D disse...

AMEEEEEEEEEEEEEII... bem a tua cara esse blog aki.. =***** te amo