quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Conselhos de um piauiense para um 2010 bem pai d’égua

  • Sobre as suas metas para o Ano Novo

- Anote os seus querê e pendure num lugar que você enxergue todo dia.

- Mesmo que seus objetivos estejam lá prá baixa da égua, vale à pena correr atrás. Não se agonie e nem esmoreça. Peleje.

- Se vire num cão chupando manga e mêta o pé na carreira, pois pra gente conseguir o que quer, tem é Zé.

- Lembre que pra ficar estribado é preciso trabalhar. Não fique só frescando.

  • Sobre o amor

- Não fique enrolando e arrudiando prá chegar junto de quem você gosta. Tome rumo, avie, se avexe

- Dê um desconto prá peste daquele cabra que só bate fofo com você. Aperreia ele. Vai que dá certo e nasce um bruguelim réi amarelo!

- Você é um corralinda. Se você ainda não tem ninguém, não pegue qualquer marmota. Escolha uma corralinda igual a você.

- Não bula no que tá quieto. Num seja avexado, pois de tanto coisar com uma, coisar com outra, você acaba mesmo é com um chapéu de touro.

- As cabritas num devem se agoniar. O certo é pastorar até encontrar alguém pai d'égua. Num devem se atracar com um cabra peba, malamanhado e fulerage. O segredo é pelejar e não desistir nunca. Num peça pinico e deixe quem quiser mangar. Um dia vai aparecer um machoréi da sua bitola.

  • Sobre o trabalho

- Trabalhe, num se mêta a besta. Quem num dá um prego numa barra de sabão num tem vez não.

- Se você vive fumando numa quenga, puto nas calças e não agüenta mais aquele seu chefe réi fulerage, tenha calma, não adianta se ispritar. Se ele não lhe notou até agora é porque num tá nem aí se você rala o bucho no trabalho. Procure algo melhor e cape o gato assim que puder.

- Se a lida não está como você quer, num bote boneco, num se aperreie e nem fique de lundu. Saia com aquele magote de amigos pra tomar uns merol. Tome umas meiotas e conte uma ruma de piadas que tudo melhora.

  • Sobre a sua vidinha

- Você já é um cagado de sorte só por estar vivo. Pense nisso e agradeça a Deus.

- Cuide bem dos bruguelos e da mulher. Dê sempre mais que o sustento, pois eles lhe dão o aconchego no fim da lida. Não fique resmungando e batendo no quengo por besteira. Seje macho e pense positivo.

- Num se avexe, num se aperreie e nem se agonie. Num é nas carreira que se esfola um preá.

  • Arrumação motivacional

- No forró da entrada do ano, coma aquela gororoba até encher o bucho. É prá dar sorte, mas cuidado, senão dá gastura.

- Tome um burrim e tire o gosto com passarinha ou panelada que é prá num perder a mania!

  • Prá começar o ano dicunforça

- Reflita sobre as besteiras do ano passado e rebole no mato os maus pensamentos.

- Murche as orêia, respire fundo e grite bem alto: Sai mundiça !!! Ah, e não esqueça do grito de guerra, que é prá dar mais sorte ainda: Queima raparigal!!!

Agora é só levantar a cabeça e desimbestar no rumo da venta que vai dar tudo certo em 2010, afinal de contas você é piauiense!! E para os que não são da terrinha, mas são doidim prá ser, nosso desejo é que sejam tão felizes quanto nós. Peeeeennnnse num ano que vai ser muito bom. Respeite como vai ser pai d’égua esse 2010!

*Recebi por email e morri de rir! Infelizmente não posso dar os devidos créditos, mas olha, a pessoa que fez isso é muito criativa! Adorei!
Estou em São Luís, curtindo meus amigos daqui que há muito eu não via, curtindo meu "sobrinho" torto, Vinicius, e a mãe dele, minha querida amiga Livia, curtindo a cidade, as belezas do lugar, as novidades, enfim!
Desejo, é claro, que as melhores coisas aconteçam no ano de 2010, mas se elas não acontecerem, desejo aprendizado para as adversidades, pois tudo o que nos acontece tem uma razão e carrega consigo as lições que precisamos aprender para desfrutar os momentos de felicidade que chegarão em todos os anos de nossas vidas!
FELIZ 2010!

Beijos, beijos!

domingo, 20 de dezembro de 2009

Retrospectiva

Uma coisa que eu não posso deixar de admitir é o quanto Parnaíba tem sido maravilhosa comigo desde que vim morar aqui. São três anos e muita coisa pra contar. Cheguei aqui meio menina ainda, cheia de saudades de casa, dos amigos e da família, insegura, mas corajosa, com vontade de fazer dar certo. Parnaíba me deu um amor de verdade, de fazer o coração doer e a respiração falhar, o maior amor da minha vida. Me deu amigos que não sei onde encontraria melhores. Me deu irmãs, me deu maridas. Me deu amadurecimento, livre arbítrio, independência financeira. Parnaíba me deu um bronzeado lindo, me fez ficar mais apaixonada por mar, praia e sol. Me deu problemas para resolver, noites insones e alguma ou outra manhã de ressaca. E isso tudo me fez crescer.

Hoje sou uma pessoa melhor e compreendo muitas coisas que antes eu não compreendia. Hoje, admiro meus pais como heróis e eles confiam no meu julgamento, me respeitam, me sentem adulta. Eu me sinto adulta também. E me sinto mulher. Pronta para conquistar o mundo, desde que possa contar com tudo isso. Não vou dizer que o ano que passou foi fácil, não foi. Passou muito rápido, mas posso dizer que me deu muitas alegrias, e uma certa dose de tristeza também. O ano que eu esperava que fosse “tanto” e no fundo foi surpreendente, de uma forma que nem eu mesmo consegui ainda digerí-lo e ficar de bem com ele. O ano que passou tirou algumas das certezas que eu carregava comigo, mas também me deu um bocado de coisas novas pra julgar. E acho que é assim que os anos devem ser mesmo (não mudando a sua vida radicalmente sempre) mas trazendo sempre coisas novas pra você pensar, o que de certa forma faz você aprender, mesmo que sofra em algum momento do caminho. Acho que foi Chaplin que disse que 'a vida é muito para ser insignificante'.

Eu sei que não sou a pessoa mais sensata e pé no chão do mundo, mas olha, eu sempre fui responsável. E eu sei avaliar que eu mudei, não completamente, não na essência, mas pelo menos uma parte de mim mudou. Não sei extamente qual e nem de que forma aconteceu, mas eu sinto isso. Eu ainda tenho muito a aprender, disso eu também sei. Mas sabe? Eu conto que eu também ainda tenha muitos anos pra viver.

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Das verdades que só eu sei

"Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada 'impulso vital'. Pois esse impulso, às vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como 'estou contente outra vez'."
(Caio Fernando Abreu)
Eu não vou mentir, não tem sido fácil. Sei que as notícias por aqui são sempre de alegria e felicidade e não é que elas sejam mentira, não são, até porque ninguém pode viver triste, pelos cantos. Pelo menos eu não consigo viver assim. Mas ainda assim tem sido difícil, me bate tristeza, melancolia, saudade. Eu ainda penso nele todos os dias, eu ainda lembro dele nos gestos de outras pessoas, eu ainda quero contar pra ele cada pequeno acontecimento do dia. Eu não passei três anos da minha vida com ele à toa, é claro que ele é especial e que eu sinto falta dele na minha vida. É claro que valeu a pena.
Eu sei, eu sei, todo o #mimimi de que eu escolhi assim e agora tenho que aguentar tudo o que vem junto com as minhas escolhas, eu sei. Na verdade, eu nem deveria dizer essas coisas aqui, sofrer calada é melhor para não dar aos outros o gostinho de se comprazer com a minha infelicidade. Mas sabe? Não importa. Eu não ligo a mínima para a opinião de quem não gosta de mim. E sabe o que mais? Vai passar. Eu não sou o tipo de pessoa que vive infeliz, eu prefiro acreditar no amor, na vida, nas pessoas. Eu não sou do tipo que guarda mágoas por muito tempo, ao menos que seja algo realmente grave.
Eu não tô planejando gostar de ninguém agora, eu nem ao menos quero que alguém entre na minha vida nesse momento. Quero sofrer o que eu tiver que sofrer e um belo dia ver que tudo passou, que nada do que eu vivi foi mentira, mas é passado, já ficou pra trás. O que restou foi amizade, carinho e respeito. E daí, quem sabe, depois do meu amadurecimento encontrar alguém legal pra ficar (♪ e agora eu vejo aqueeele beijo era o fim... ♪).
É, eu também sei que ninguém encontra ninguém quando quer. Pior, geralmente a gente encontra quando nem ao menos tá procurando. Mas o que eu quero dizer é que mesmo sem querer encontrar alguém agora, eu sei que se acontecer, isso não vai me impedir de tentar, eu ainda acredito no amor. O meu coração tá machucado, mas eu não vou desistir de ser feliz. Talvez uma Jullyane mais madura, menos exposta, mais realista, possa entender que os sonhos nem sempre se realizam, por mais lindos que eles sejam. E que tudo o que eu vivi foi lindo e valeu a pena, mas se não deu mais pra continuar, que fiquem os bons momentos e o aprendizado. Tudo na vida tem uma razão de ser.
Não importa que alguém sorria de prazer por me ver triste hoje. Amanhã, ou depois, ou depois (quem sabe?), eu vou ser feliz de novo. Porque felicidade é viver, ela está em cada momento singular do dia, está nos pequenos prazeres, na simplicidade, num acontecimento, num reconhecimento, numa mudança, numa novidade boa. Nas pequenas coisas que a gente nem nota. Mas, principalmente, a felicidade está em nós mesmos e quando a gente está bem isso se reflete na nossa vida de todas as formas.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Casamento Mário & Janaína


Eu sei que tá tudo atrasado por aqui, e eu tenho um monte de coisas para contar pra vocês. Eu mesma tô me cobrando isso e prometo que vou atualizar tudo, prometo! Começando pelas festividades, que teve um bocado, vou falar hoje sobre o casamento do meu amigo Mário, que, gente, foi muito lindo! Nada extravagante demais, mas tudo de muito bom gosto. Eu adorei. E a felicidade deles, então, foi o mais bonito, o que a gente via que era cheio de sinceridade. A igreja foi a Santo Antonio, do Colégio das Irmãs, que eu acho muito fofa. É claro que a UFPI em peso estava lá, prestigiando nosso amigo.
A cerimônia foi linda, Mário se ocupou de todos os detalhes pessoalmente, os músicos, os cantores, a igreja, o buffet, enfim. E ele sendo essa pessoa tão fofa que é, de coração tão bom e generoso, óbvio que só poderia resultar numa festa tão linda e doce, tão cheia de amor declarado que saltava aos olhos de qualquer pessoa presente. A felicidade dos noivos estava presente em cada toque, em cada olhar que eles davam um ao outro.
O jantar, o bolo e os docinhos estavam deliciosos, a decoração e o espaço da festa muito bonito e bem iluminado. Adorei mesmo. Um dia eu vou casar e ter uma festa bem bonita e vocês estão todos convidados desde já! Tudo bem que Deus sabe quando vai ser, porque tá faltando uns detalhezinhos de nada, tipo: o noivo, a vontade de dizer "sim" e "até que a morte os separe", mas só tô falando mesmo da festa. Ah, e de festa todo mundo gosta, né, não? [Rsrsrs]
Mau-Mau, eu e Julimar
Eu tenho que fazer uma pose... Uuui!
Carol...linda e eu
O noivo todo feliz!
Cézar, Aline, eu e Carol
Eu não posso beber sem brindar com o Mau-Mau!
Sempre fazendo biquinhos
Léo e Danni
Amoooo tanto! Jáder-Kbção
Carol e Jáder
Minha xará Juliane e PaulinhaOs noivos muito felizes: Mário e Janaína
E esses sorrisos imensos? É felicidade!
Não ficamos até tarde na festa, infelizmente. Tivemos que deixar lá todo aquele White Horse sozinho e indefeso, rs. Teríamos que fiscalizar as provas do ENEM e garantir um extra pro final do ano, maratona de provas e vestibulares e a gente lá ganhando o nosso. Tudo bem que é sempre chato fiscalizar provas, dá um sono, um cansaço e uma leseira sem fim, mas quem disse que a gente tem que gostar, né? O dinheiro vai pra nossa conta em 15 dias e fica todo mundo feliz.
Os noivos ainda estão em lua de mel, em algum lugar na Bahia. É claro que eu só desejo felicidade, prosperidade e uns bacurizinhos bem lindinhos quando eles decidirem ter algum.
É isso, gente, em breve tem fotos do Fest Brega que foi um papouco de festa!
Beijos, beijos!

sábado, 12 de dezembro de 2009

A moça que gosta de Bossa


É, eu tô indecisa, não, eu não sei o que dar para minha amiga oculta virtual, que eu, inclusive, adorei e me identifiquei. Porque além de bonita, praticamente da minha idade (íntima eu, hein?), ela tem gostos e opiniões parecidas com as minhas. Li o blog dela até me perder com as páginas visitadas, porque ela escreve tão bem, assim essas coisas que a gente sempre gosta de ler, e é fácil e tão simples gostar que a gente começa a adorar...
Então, assim, resolvi fazer um post meio que com uma série de indicações de posts que eu gostei e esse vai ser o meu presente. É uma idéia legal (pelo menos, eu achei), afinal de contas, divulgar o blog dela e ainda demonstrar a ela o quanto eu realmente gostei do blog dela é mesmo o que todo blogueiro quer de verdade, afinal, que leiam nossos posts, realmente.
Quem não tem interesse de verdade pelo outro, quem não constrói relacionamentos, quem não consegue escrever apenas pra se sentir bem, não dura no blogworld, porque ficam sempre com a sensação de serem fúteis e vazios. Não adianta escrever para ser o melhor, porque sempre vai haver alguém melhor do que você, convenhamos o mundo está cheio de gente muito esperta. Mas quem escreve porque tem necessidade, porque valoriza suas idéias e quer expô-las, porque também gosta de saber o que outras pessoas estão pensando, estes sim conseguem sucesso, mesmo que seja com meia dúzia de leitores.
Então, vou revelar... (Ui, quanto suspense!)
["uma cerveja quente", "uma peste detalhista", "uma neurótica da teoria", "uma fofa", "uma feministazinha aquariana" - Todas elas juntas num só você]
Minha amiga oculta virtual é a Natália.
Ela tem 22 anos, é super inteligente (vulgo nerd), recém formada em Jornalismo, feminista e aquariana, adora a Mafalda e poemas, tem um apelido super interessante e exótico: Raposa, tem TPM todos os meses e mania de fazer caras e bocas para a mãe sorrir, se ela fosse um livro seria Carmen, inclusive eu também fiz esse teste um dia desses. Adora comédias românticas com finais felizes, Marian Keyes, os pequenos prazeres da vida, já sonhou com Chico Buarque e essa foi a pior cantada que ela recebeu na vida. Nunca vai roubar o marido/namorado alheio, porque ela simplesmente abomina quem faz isso, se você ler esse post aqui e esse outro aqui, vai entender do que eu tô falando. Ela até mesmo já foi em Teresina, minha cidade natal. Ela também não gosta de quem se faz de cult e sofisticado e eu adorei isso nela. Odeia futebol e ama ler. Já entrevistou muita gente sem noção na vida e não sabe andar de bicileta. Ela é praticamente minha alma gêmea já que odeia quem cospe perto dela (eca, que nojo!) e tem mania de ser Poliana.
Para ler:
Olhar
Quem tem amigos nunca é só
Vida de novela
Um dia feliz como um dia comum
Encontra-se alguém
Eu nem sei...

Natália, meu desejo é que você sempre tenha bons motivos pra continuar escrevendo todas as coisas lindas que você escreve. Desejo mesmo que você seja feliz e que tenha muitos momentos de felicidade na vida!
É isso, o meu presente pra você, um post todinho seu!
Beijos, beijos!

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Amigo Oculto Virtual e Rapidinhas

Participem, gente! Ano passado eu participei, gostei e esse ano quero de novo! É só ir e seguir as instruções da Alice. Inscrições até 09/12 e a revelação será dia 12/12. Sucesso garantido!
********************
Esse fim de semana promete muito, hoje tem aniversário da Lays, era uma festa à fantasia, mas como tem jeca demais no mundo, as pessoas começaram a botar banca e a aniversariante resolveu fazer uma festa normal. Bleh! Eu já tinha alugado minha fantasia de JOANINHA e tudo mais, linda, gente, ia ser uma palhaçada só. Agora nem sei mais se vou pra festa. Brochei (nunca sei se 'brochar' é com 'ch' ou 'x', procurei no Dicionário, mas não tem esse sentido que eu quero dizer. #fail).
Amanhã é o casamento de um querido amigo do trabalho, Mário e sua noiva, Janaína. Todos os comparsas da Ufpi estarão lá, bonitos e chiques, hehehe. Ao contrário de segunda que vai tá todo mundo 'fashion da moda' no Fest Brega. Gente, meu look não é desse mundo, não, tenho até que ter cuidado pra ninguém copiar, porque, né?, quero exclusividade. Prometo que não vou demorar pra colocar as fotos, que é muita festa pra dar conta!
Por hoje é só! Bom final de semana pra vocês!
Beijos, beijos!

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Jericoacoara - CE


Depois de uma semana de muito trabalho, internet sem conexão e reuniões (do Conselho e Extraordinária), finalmente este post está saindo (aleluia!), queria ter tempo de fazer tanta coisa, mas não dá para me virar em duas (ou em três), final do ano já chegou, cheio de festas, novidades e nostalgia, mas disso eu falo depois, agora quero falar dessa viagem que foi muuuuito linda e eu já quero voltar lá de novo!
Saímos cedinho, de carro até Camocim-CE, já munidos dos guias e picapes com tração, pegamos uma balsa para atravessar o Rio Coreaú e fazer aquele rally até Jeri.
Minha motorista preferida!
Em Camocim - margem do Rio Coreaú
Rio Coreaú
Acreditam que uma picape atravessa o rio nesta balsa?
Na balsa
Lagoa da Torta (ou Tatajuba)
No meio do caminho paramos na Lagoa da Torta, também conhecida como Lagoa da Tatajuba, para curtir a beleza local e nos refrescar nas águas geladinhas, dá vontade de nem sair mais de lá, deitar nas redinhas que ficam dentro d'água e curtir o solzinho tomando uma água de coco. Aposto que já deu vontade em você também, né? Eu já tinha visto fotos de outras pessoas que foram em Jeri deitadas nas redinhas e morria de vontade de ter uma também. Delícia, gente, delícia demais!
Vidão!
"Modelando" na Lagoa
Affff, que vida difícil...

Chegamos em Jeri umas duas da tarde, nos instalamos na Pousada Maxitália, muito boa por sinal (só deixou um pouco a desejar no café da manhã, mas nem foi taaanto assim), os quartos bonitos, limpos, arrumados, bem aconchegantes, adorei e recomendo. Comemos num restaurante chamado Dona Amélia, camarão ao molho branco para duas pessoas que serviam três facilmente, muito bem preparado e delicioso!
 Marcelo, Carol e eu
Eu



Depois de muuuito bem alimentados fomos explorar Jeri e suas possibilidades, encontramos vários bares à beira-mar, muitos turistas estrangeiros e uma praia linda e lotada de kite e wind-surfistas, tantos que brilhavam de longe, parecendo borboletas gigantes e coloridas, compondo um cenário mágico e perfeito.

Que vista linda, hein?
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 
*Miss Sunshine*
Pôr-do-Sol mais lindo do mundo!
Uma das coisas mais tradicionais para se fazer em Jeri é subir na Duna do Pôr-do-Sol para olhar o crepúsculo, óbvio. Tudo bem que eu quase morri sem fôlego e com cãimbras, mas quando cheguei lá em cima valeu a pena porque a vista é linda e de tirar o fôlego.

Carol e eu na Pizzaria Dellacasa
Voltamos à Pousada para descansar, tomar banho, etc, à noite comemos uma pizza deliciosa, com a massa sequinha e crocante na Pizzaria Dellacasa, servida por un hermano paraguayo. Depois de muitas subidas e descidas nas ruas de areia de Jeri, aproveitamos a noite pelos bares da beira-mar, mas não ficamos até muito tarde porque queríamos acordar cedo para aproveitar a praia.

Marcelo, eu e Carol
Domingo acordamos cedo e fomos pra praia, tiramos mil fotos, tomamos banho de mar, bebemos água-de-coco e até conseguimos reunir grande parte da galera que foi conosco, que estavam cada um para o seu próprio lado e interesse. Não tivemos muito tempo pra aproveitar, não conseguimos ir na Pedra Furada e em outras lagoas, mas a viagem valeu muito a pena e é claro que ficamos com vontade de voltar.

Volta pro mar, oferenda!!! Kkkkkk!Oh beijo bom da minha marida!"A gente só quer ser sim, afinal, estamos em Jeri, tá?" Kkkkkkk!Delííícia!Aproveitando os últimos momentos...
Vou confessar: morro de vontade de fazer um tattoo, no modelo dessa de henna que fiz no pé, em Jeri, obviamente com letras mais bonitas e bem-feitas, em letras minúsculas, mas a idéia é só uma. O que falta? Coragem. E muita. E sal pra não cair minha pressão ou eu desmaiar. De qualquer modo, o Jáder (meu kbção preferido) combinou comigo de fazer uma também, juntos. Só quero saber é quem vai segurar quem. #prontofalei
"made in piauí"
E é claro que não dá pra passar em Jeri sem comprar nada, né? Ainda mais quem tem maridas ciumentas esperando em casa. Compramos apenas lembrancinhas, porta-retratos para as meninas (Gg, Letícia e Jaque) e uma camisa no motivo da Coca-Cola, escrito "Capo Eira", pro Jáder, que ele tá doido pra virar o Besouro. Para nós mesmo, nada, nem cartão-postal, que lá tudo é o zóio da cara (nós 'semos' pobres!) e a gente ainda tava precisando dos nossos, hehehehe! Só dá mesmo pra brincar, que isso é de graça e cara de pau aqui tem demais! Almoço no Restaurante do Sapão, camarão ao molho de abacaxi, huuuummmm, já deu água na boca de novo!


Finalmente a volta pra casa, mesmas aventuras da ida, picapes, dunas, balsas e viagem de carro de Camocim à Parnaíba. Cansados, claro, mas satisfeitos, com vontade de ter aproveitado mais, com vontade de voltar em breve, com vontade de levar muitas pessoas bacanas pra lá. Enfim, a foto oficial da galera que foi.

Jeri: adorei e quero voltar!

Beijos, beijos!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

O amor é uma doença

Não tem nada a ver com nada, não é indireta, não é recado, eu só achei muito foda, como tudo o que a Tati Bernardi escreve e quis compartilhar aqui, como tudo, como sempre.
"Eu não sei guardar coisas. Se eu compro chocolates, como todos no mesmo dia. Se eu compro balas, chicletes, devoro todos em minutos, compulsivamente. Detesto saber que algo me espera, quero acabar logo com aquilo. Não sei lidar com a responsabilidade da felicidade. A felicidade guardada na bolsa ou na vida. Eu tenho um homem lindo me esperando essa hora, e eu quero com todas as células do meu corpo ir ao encontro dele. Mas eu não sei lidar com tanta felicidade, por isso estou planejando a morte dele. Estou planejando matá-lo com minha estupidez, quero que ele morra fulminado pelas minhas armas de boicote. Quero que ele perceba o quanto sou chata, ciumenta, louca e doente. E que ele enjoe logo da minha cara abatida de intensidade. Que ele pegue logo bode do meu cansaço em viver tanto, porque vivo muito mesmo quando estou deitada olhando para um ponto fixo. É tão cansativo ser eu mesma com todos os meus medos e neuroses, e quero que ele sinta o fardo do meu peso. Morra e me liberte dessa alegria incontrolável. Passe desta para uma melhor, porque eu sou um lixo. Eu lembro daquele conto da Clarice em que a garotinha ruiva guardava os contos para ler depois, porque queria prolongar o mistério da felicidade. Pois eu quero mais é botar fogo em todos os contos de felicidade que a vida escreve para mim, porque por alguma razão maluca a felicidade me escraviza, me paralisa, me faz ficar triste. Eu olho para você e tenho tanta, mas tanta alegria em saber que você existe, que sinto ódio. Ódio de eu não mais esperar por você. O sentido da minha vida era encontrar você. O motivo para eu seguir adiante nos corredores escuros e bater em portas obscuras, era a sua busca. Agora que você está sentado numa sala clara e óbvia, não preciso mais me enfiar em buracos. Mas os buracos eram a única trilha que eu conhecia. Você me soltou na atmosfera e eu estou voando. E eu sinto saudades do buraco, da espera, da angústia. Eu sinto falta de olhar triste para o espelho e me sentir metade. Agora que eu tenho você, nem perco mais meu tempo olhando para o espelho, porque só tenho olhos para você. Você me roubou de mim mesma. E eu sou tão ciumenta que estou com ciúmes de mim. Você me tirou da minha vida incompleta. E me transformou numa completa idiota. O amor é uma doença. Eu sinto náuseas, febres, dores musculares. Eu acordo assustada no meio da noite. Eu choro à toa. Eu estava do lado da sujeira, eu era a outra, eu estava por dentro do crime. Você me fez sentir um mundo limpo, verdadeiro e eterno. E esse mundo é tão novo pra mim, que eu te odeio. Que eu estou pequena nele, e preciso de você o tempo todo para me abraçar e dizer que está tudo bem. E quando você não está por perto, eu caio. Porque não sei nada desse mundo de alegrias e coisas bonitas. Você não me deu saída. Você transformou todas as vozes que me davam escapatórias para outros corredores, em sons sem lábia. Minhas saídas perderam as escadas escuras e charmosas, porque você lavou meu chão de imundícies com amaciante Fofo. Se eu tentar fugir, escorrego no perfume da minha nova vida. A nova vida que não sei viver. A nova vida que quero viver ao seu lado. Ao lado do homem que eu odeio porque nunca amei tanto. Ao lado da felicidade que eu odeio porque se ela acabar, não sei mais se consigo voltar pra casa. E nem se quero. Era eu, entende? Era eu que me atracava com o lado errado da vida para estar sempre certa. Era eu a resposta para todas as perguntas que ninguém tem coragem de perguntar. Sim, o mundo é imperfeito, as pessoas traem, o amor não existe, seu marido me come, seu namorado me come, o mundo quer me comer enquanto você borda seu laço cor-de-rosa. Agora eu estou aqui, inconformada com o seu passado, querendo matar suas lembranças. Com ciumes do seu silêncio porque ele está com você há mais tempo do que eu e eu tenho medo do quanto ele te consome, com ciumes do seu sono porque ele te leva do meu foco. Com raiva da sua importância porque ela me congela, com raiva do tempo que não dura para sempre quando você me olha sabendo das minhas loucuras e ainda assim me amando. Agora eu estou aqui, querendo que todos os amores do mundo durem para sempre, e que nenês nasçam, e que árvores cresçam e que garotas vagabundas não nos invejem e que os desejos das nossas sombras não nos traia. Agora eu estou aqui, de quatro, de língua no chão, te odiando muito, virando a cara, socando você, cuspindo em você, te tratando mal, tudo isso porque não sei lidar com o mundo girando na minha barriga, a tontura do amor, o enjôo do vício em você, a dor do músculo quando me separo. Pode parecer maluco, mas todas as minhas súplicas para que você desista de mim, é um jeito maluco de pedir que você não desista nunca, pelo amor de Deus."
(Tati Bernardi)
Esse fim de semana vou aproveitar Jericoacoara-CE, não conheço e sempre tive a maior vontade de conhecer, dizem que é lindo e espero comprovar com meus próprios olhos e, é claro, com muitas fotos, que eu adoro. Sei que não tô no melhor dos climas, mas é justamente por isso que preciso me distrair.
Já comprei tudo o que preciso pra viagem, mas não fiquei feliz, na verdade, deprimi. Tô gorda [balofa, baranga] e precisando de dieta e exercícios, pra ficar bonita, gostosa, me sentir bem comigo mesma e não entrar em desespero num provador de loja. Depois da viagem eu vou começar um regime e entrar em alguma atividade física, talvez aula de forró ou academia, ainda não decidi, mas eu preciso fazer alguma coisa!
Aguardem as cenas dos próximos capítulos!
Beijos, beijos!

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Bagaceira do Béé

Bagaceira todo mundo sabe o que é e essa foi digna do nome, começou por volta do meio dia e só foi acabar lá pelas 2 da madrugada. Muito churrasco, cerveja, forró, risadas e amigos. A receita mágica para uma festa perfeita. No final, é claro que a casa ficou destruída (inclusive a porta do banheiro que uma doidinha fez o favor de se trancar dentro), mas o saldo foi superpositivo, todo mundo amou.
Tanto é que já estamos planejando o primeiro bregão, I Fest Brega, com data previamente marcada pro próximo dia 07.12 (mas ainda vamos deliberar com o Conselho pois sugeriram alteração para o dia 18.12, rs), com direito a 'amigo da onça' , repertório brega, todo mundo à caráter e tudo mais. Incrível como o povo adoooora uma festa, inventam de tudo, só precisam do pezinho, alguém dá um idéia, um insight e pronto, já virou festa, na certa.

Santiago
Danniel e Rafaela Amores de amigas Gabriel adora o meu colo
O anjinho mais gostoso da festa, que esteve em todos os colos e apaixonou todos os convidados, é claro que foi o Gabriel. Fofo, gostoso, cheio de sorrisos e gracinhas, é impossível não amar e olha, como eu amo esse guri, viu?

Jaque e Marcelo Amoooo esse povo! Meninos Meninas Porque eu não largo o copo? Meu pedacinho de chocolate branco! Amoooo!
Maridas: é claro que eu amo! Julimar Michelângelo
Danniel, César e Maurílio
Eu querendo ser do tamanho do Mau-Mau
Ele nem é mais furão: Marcelo
Kbção do meu coração
Todo mundo só babando o Biel
Gostooooso pra xuxu, xuá xuááá...
O post tá atrasadinho, eu sei, a festa foi na semana passada, mas sei também que vocês entendem. Até o meu sumiço de alguns blogs, eu sei que quem tá por dentro, entende de verdade. E eu agradeço, sabe? Agradeço muito. Pelo apoio e carinho que recebo de longe, em forma de email e comments, mostrando que os blogueiros amigos podem ser amigos de verdade, que se importam e sabem como estar perto, mesmo que de longe, que sabem que as palavras amigas e carinhosas podem dar alento e colo. Obrigada, mesmo, de coração. Também não posso esquecer das pessoas que estão mais próximas do que nunca, me ajudando mesmo, em tudo, na parte emocional e física da coisa. Obrigada, Carol, Jáder, Jaque, Gg e Letícia, principalmente. Você estão no meu coração, amo vocês sempre.
Esse fim de semana já teve outras coisas para mostrar pra vocês, sexta teve churrasco na casa do casal de amigos César e Aline, muita picanha, cerveja gelada, pão de alho e risadas, garantia de diversão total. No sábado, fui com os amigos para o Festival do Caranguejo de Ilha Grande, comidas típicas, bregão com Baltazar e forró com Banda Bali, bom demais. No domingo, praia e mais churrasco.
Distrair a mente. Abstrair os problemas. Eis o meu lema.
Beijos, beijos!