sábado, 9 de julho de 2011

Trecho de uma carta escondida

"Foi quando vi que ser feliz era não querer te ter pra sempre e sim te ter naquele instante que já era eterno o suficiente." (Uma onda - Validuaté) 

Mais de dez anos de espera, química, pele, cheiro. Muita promessa, expectativas e carinho gratuito. Amizade. Uma das pessoas favoritas da minha vida, a quem eu posso falar sobre tudo, que mesmo que não concorde comigo, me entende. Brigas, ciúmes, desavenças, distância: não é que tudo tenha sido perfeito entre nós, no entanto, sempre foi real. E apesar de todas as impossibilidades, chegamos primeiro, estamos acima das coisas mundanas, das convenções sociais.
 
'Era pra gente ter casado, menina, era pra gente ter ficado juntos há sete anos atrás', diz você. E eu até acredito e gostaria de ter feito algumas escolhas diferentes. Não que eu tenha esperanças, isso não vai acontecer e não está nos planos, tampouco. Eu sei que sou especial pra você, não me interessa ser única. Lembro quantas vezes você me disse que eu andava com os caras errados e eu não queria perceber que você queria ser o certo. Me fingia de superior, como se nem me importasse, mas no fundo, eu sabia que a gente tinha potencial para ter sido o grande amor da vida um do outro.

Você fala até mesmo de filhos, com esse seu jeito sincero de não filtrar nenhum pensamento e eu rio nervosa, pensando: 'maluco', mas também sei que não seria de todo mal, enquanto você  ainda embala minha imaginação ao dizer que um filho meu jamais traria nada de ruim para a sua vida. 'Seria lindo, algo que ninguém jamais poderia contestar', no final nem eu sei onde é que está a loucura de verdade.

Até o gosto do teu suor me deixa arrepiada, tonta, doida. O jeito como você me toca no ponto certo, beijando minha nuca e me fazendo massagens me faz querer mais, ninguém consegue fazer igual. E o nosso primeiro beijo, há mil anos atrás, então, nunca foi superado. As mãos trêmulas, o coração acelerado, a timidez, a vontade. A gente já viveu tanta coisa, se distanciou tantas vezes, mas você sempre esteve no recanto do meu coração, uma história por acontecer. Não quero mais nada, só beber desta fonte infinita de prazer que é você.


(Só para esclarecer aos desavisados: o marcador 'crônicas' quer dizer que os textos são fictícios e não correspondem à minha vida pessoal)

7 comentários:

Livia disse...

'Não quero mais nada, só beber desta fonte infinita de prazer que é você.'

Falou tudo!

Minha nossa, até me segurei aqui na cadeira com essa foto. Quem escolheu, hein?

Quando há química, nada pode contra.

Beijos e curta essa história!

Te amo.

Livia disse...

Ah, ainda há tempo.

carol disse...

Meu Deus! Sem comentários...

Dani Antunes disse...

Só faltou o: "Beijo e até breve, Dani". Sim, porque você falou tudo... exatamente tudo o que eu sinto neste momento.

Bel disse...

Mas, hein? Quem tem uma história dessas não pode reclamar da vida! Por que não deu certo completamente, posso saber?
Beijooooooo

.Intense. disse...

Ficou lindo, o post, sim. Juntando com as partes censuradas (que eu tenho acesso, nham) fica mais bonito ainda.

Não sei se um de vocês pode dizer que não é pra ser. Talvez seja. Talvez 7 anos atrás, talvez hoje, não seja o tempo certo. Mas quem é que sabe dele de antemão?

Curtam o que tem pra ser curtido hoje. Relações assim são únicas e, acontecem só uma vez.

:*
(saudade!)

Anônimo disse...

Fico muitissimo feliz