quarta-feira, 30 de junho de 2010

.a outra face.

Precise de uma pessoa e saberá com quem de fato você pode contar. Minha mãe costuma dizer que eu sou boazinha demais pras pessoas que eu gosto e é verdade. Mãe sempre tem esses insights das coisas antes que elas aconteçam, mas no meu caso nem é a primeira vez. Quando as pessoas precisam de mim, seja por qual motivo for, lá estou eu. Seja para segurar uma barra, estar do lado numa fossa e até ajudar financeiramente. Enfim, quando sou amiga, eu sou pau pra toda obra, precisou de mim, eu estou lá, de boa vontade.
A gente não deve fazer as coisas para os outros esperando retorno, eu sei, mas quando a gente não recebe a mesma consideração que dá, isso magoa. Estou triste, de verdade. Não gosto de discussões, cobranças, de jogar na cara das pessoas o que já fiz por elas, é desnecessário. Fico guardando aquilo dentro de mim, tentando relevar, deixar passar. Prefiro não explodir, porque sou uma pessoa rancorosa em certos aspectos, quando não consigo mais guardar, é porque não tem mais jeito de consertar, geralmente a briga é feia ou então, simplesmente me afasto por completo. Quem não me acrescenta não me faz falta, isso é bem verdade.
A única coisa que sei é que em breve a situação irá mudar, para melhor, completamente. E isso é o que está me deixando menos ansiosa, o que está me fazendo segurar as pontas e pensar lá na frente. Porque a ingratidão fere, ainda mais de pessoas por quem mais a gente fez, e de coração.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Lista de quinta

Vai que hoje a lista quem assina sou eu. Os 10 mais pegáveis da Copa 2010, uma seleção de perfeição. Adorei a experiência de participar de um blog amigo, agradeço muito a consideração da Natália, que confiou em mim para escrever sobre o que eu quisesse no blog dela.
Essa não dá pra perder, né!?
Beijos, beijos!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

A doçura de ser só

Não vou dizer que estou na fase mais feliz da minha vida porque eu nunca fui uma pessoa triste, agradeço a Deus todos os dias o fato de ter muitas coisas de que me orgulhar e que me orgulho de todas elas. Mas estou numa fase ótima, isso transparece nos meus olhos para quem quer que me conheça, não posso negar. Até um professor meu veio me dizer esses dias que estou com uma aparência muito serena, que pareço uma pessoa mais feliz. Eu estou bem, tranquila, despreocupada. Curtindo minha vida, minhas viagens, minhas músicas, minhas vontades, meus amigos. Amadureci. Hoje eu sei o que quero pra mim e o que estou disposta a conceder por causa disso.
Não é que eu seja mais bem resolvida que ninguém, eu só me aceito e procuro fazer o melhor que eu puder com isso, descobri o que me faz bem e o que me faz mal e estou tentando tirar do meu caminho as coisas que me atormentam. Eu não estou amarga, nem tenho a intenção de me tornar, não deixei de acreditar no amor, só que hoje meus olhos estão mais realistas. Eles ponderam sobre o que vejo todos os dias e não conseguem mais olhar o mundo através das lentes cor-de-rosa de antes. A realidade se impõe, não adianta fazer disso uma impossibilidade, a capacidade de se adaptar decide quem vai sobreviver desde a pré-história - já dizia Darwin.
Eu sei que o fato de me sentir bem sozinha parece papo de quem está morrendo de dor de cotovelo e quer forçar a barra, mas sabe? Nem me abala. A minha paz de espírito não tem preço. Tenho me sentido tão bonita, tão legal, tão inteligente, tão bem, de verdade, que o fato de alguém duvidar disso só me faz ter vontade de rir.
E não estou procurando um namorado, não tem me feito falta. Nem estou desiludida do amor nem nada disso. É só algo que eu sei que não estou preparada pra enfrentar agora. É mais do que não querer, é saber que não estou pronta pra me jogar de cabeça, pra amar, confiar, querer construir uma relação. Eu não sei amar pouco, quero muito, sou derramada. Contraditório? Talvez. Mas ser realista não quer dizer deixar de sonhar, mas escolher os sonhos em que se pode investir.
O que me deixa tranqüila e que as pessoas não entendem é o fato de eu saber que é fase, que um belo dia vai simplesmente acontecer de novo, vou me apaixonar e fazer muitos planos, aprender mais um tanto, viver momentos lindos. Faz parte da vida. Só que não vai ser agora e eu não estou com um pingo de pressa.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

.pra se guardar.

"Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos." (Bob Marley)
Vê-las sempre me deixa mais feliz, me faz bem, me emociona. Ontem foi dia de almoço de despedida na casa da Gheysa, que vai fazer intercâmbio no Canadá e só volta em agosto, mais uma oportunidade para nos reunirmos, conversarmos e matarmos a saudade, que é gigante e permanente. Elas são as RL's da minha vida, as que eu sei que estarão lá, sempre com sorrisos abertos para mim.
Amo muito!
*Na foto: Gheysa (Maguinha) , eu, Jocele (Bob), Fran e Juliana.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Turma Renata Ribeiro Santos de Moraes

E lá se vai outra turma se formar sem mim, rs. Bom, não é que eu não queira, mas vocês sabem as complicações pelas quais passa uma estudante transferida de uma instituição para outra, né? A grade curricular é diferente e embanana tudo. A turma da Uespi teve que se formar sem mim porque eu vim morar em Parnaíba e esta, uma das que eu pago disciplinas na Fap, vai se formar sem mim porque ainda faltam quatro disciplinas para o semestre que vem. Aí sim, não é possível que eu não me forme em Administração com uma baita festa, para comemorar toda a saga que foi essa minha vida acadêmica.
O convite do pessoal ficou lindo, todo caprichado e é claro que eu tô aqui para mostrar em primeira mão para vocês. A turma é pequena, a primeira de Administração Geral da Fap (as outras eram com habilitação em Marketing ou Turismo), mas nela existem três pessoas muito importantes e queridas para mim e eu tenho certeza que todo mundo que lê esse blog tá cansado de ouvir falar delas. Também tenho que contar para vocês (todo mundo sabe que eu sou convencida!) que eu tô nos agradecimentos de todo mundo, então é óbvio que fiquei muito emocionada e até chorei (boba, boba, boba!).
Gg
"Agradeço a Deus pelo dom da vida e pelas vezes que me encheu de força para vencer os obstáculos e chegar até aqui. À minha MÃE CARMÉLIA, exemplo de mulher forte e batalhadora, razão da minha existência, a quem eu dedico todas as minhas vitórias. À minha irmã Letícia, pelo companheirismo, cumplicidade e amor. À madrinha Eunice, Dra. Iara e D. Neide, pelo carinho e apoio nos momentos difíceis. Às minhas amigas especiais: Carol, Jaqueline e Jullyane, pessoas que foram fundamentais nessa trajetória e levarei comigo para todo o sempre. Às amigas Andrea, Osmarina e Rubenita, que mesmo longe sempre torceram por mim, vibravam a cada notícia boa, mesmo que fosse por telefone, Orkut ou MSN, sempre estavam dispostas a me ouvir e me ajudar. Aos meus amados amigos: Raphael, Santiago, Mariita, Clayton, Amorim, Mayara, Marcelo Mendes, Luana, James, Vanessa, Wallyson e Ribamar, pelas farras, caronas, pelas noites no hospital quando eu ficava doente, pelas madrugadas fazendo trabalho, pelo consolo depois dos assaltos, enfim, pelo companheirismo, carinho, amor e amizade, sempre! A vocês que tanto amo, muito obrigada!"
Jaque
"Agradeço primeiramente a Deus, por iluminar meu caminho, pela sabedoria alcançada a cada dia, e por meu filho Gabriel, força maior, ar que respiro e motivo do meu vencer. À minha mãe, pelo amor e apoio incondicional, ao meu pai, irmãos, sobrinha, cunhado e aos meus familiares pela força e por me acompanharem durante todos esses anos. Ao Marcelo, pelo amor, carinho, compreensão e incentivo. Aos colegas pelo prazer do convívio acadêmico. À Faculdade Piauiense pela oportunidade de realização deste curso, aos mestres pelos ensinamentos e lições de vida. E como não poderia esquecer dos meus queridos amigos que tanto contribuíram não só para minha vida acadêmica, mas pessoal: Caroline, Eliane, Gerusa, Jullyane, Luana, Márcia, Marcelo Mendes, Raphael, Santiago (o primo!) e Vanessa, a amizade, o companheirismo e os muitos momentos de pura alegria que não deixaram esquecer a importância de vocês nessa longa caminhada. E aos demais meus amigos, que sempre estiveram presentes em minha vida, mesmo distantes, mas em pensamento nunca deixaram de me incentivar, meu muito obrigada!"
Santiago - o 'primo'
"Agradeço carinhosamente aos meus queridos pais por toda paciência e dedicação. À minha irmã, Andréia, e aos meus queridos sobrinhos, Adélia e Aquiles. Aos meus avós paternos: Zezé e Antenor (in memorian) e à minha avó materna: Adélia (in memorian). Aos meus tios: Luciene, Ludmar, Lucineide, Luciano, Fátima, Dedé, Estela e Sandra. Aos meus primos: Rafael, Cláudia, Jaqueline, Marta Laura e os demais parentes e familiares. Agradeço também aos amigos que conviveram comigo dentro desses quatro anos, em especial às primas da faculdade: Jaqueline, Gerusa e Jullyane.
DEUS, obrigado pela vida, saúde e sabedoria... O restante fica por minha conta."
Comissão de formatura mais linda do mundo!
A festa vai ser em julho e já estou com os modelitos no ponto! A cobertura completa do evento, é claro, você só vai ver aqui, rs.
Beijos, beijos!

quarta-feira, 16 de junho de 2010

.brilho eterno de uma mente sem lembranças.

Rever ex. Tem coisa pior ou que mexa com a gente mesmo sem querer, mesmo depois de tanto tempo? Se for inesperado, então, o coração dispara, a gente não consegue fingir que nada aconteceu. Rever ex com outra é duas vezes pior. Sempre há o sentimento de posse, o egoísmo. Queremos que a nova namorada seja feia, chata, louca de ciúmes. Queremos estar lindas, maravilhosas, nos divertindo, rodeadas de amigos e pessoas interessantes, queremos que eles percebam que superamos e que estamos melhor sem eles, queremos que eles morram de ciúmes e nos queiram desesperadamente de volta, mesmo que não queiramos voltar. Estranho, né? Desconcertante. As pessoas são sempre complexas. Acredito que muitas pessoas gostariam de deletar certa parte de sua vida da memória, se possível fosse, assim como Clementine.
"Quão feliz é o destino de um inocente sem culpa! O mundo em esquecimento pelo mundo esquecido. Brilho eterno de uma mente sem lembranças! Cada orador aceito, cada desejo renunciado." (Joel Barrish - Jim Carey)
Eu não seria uma dessas pessoas, por vários motivos, mas principalmente porque acredito que o ser humano evolui com os problemas que enfrenta, aprende e pode fazer diferente de uma próxima vez. Mas digam se a ideia de curar um coração partido com o esquecimento não é tentadora? Imaginem aqueles momentos de fossa insuportáveis, aquela desilusão sem fim, aqueles dias em que a gente acha que nada mais vai nos fazer ser felizes novamente... Imaginem bem isso e pensem o quão longe pessoas desesperadas poderiam chegar na busca para a cura da sua dor. E quem seríamos nós para julgar o que seria correto ou não? Relacionamentos destrutivos tem por aí aos montes, todo mundo conhece pelo menos um caso em que ficaria balançado em indicar o 'esquecimento'. É tudo tão particular.
Parece que a maioria dos casais que ficam juntos terminam os relacionamentos se odiando. É triste, mas acontece muito. Uma amiga minha diz que os fins precisam ter sua dose de mágoa, para acabar de vez, para não restar dúvidas. É um pensamento interessante, quantas vezes somos consumidos pelos 'e se'? Dói, dói, dói. Durante muito tempo, mesmo que não exista mais amor, ainda dói. A mente não desconecta tão rápido quanto queremos. O tempo passa, as coisas mudam, mas rever um ex sempre vai nos fazer sentir emoções contraditórias. Sempre causa impacto. O tempo se encarrega de criar as casquinhas que vão curar as feridas. Um dia, talvez a gente consiga olhar tudo com olhos calmos e mãos firmes, quando tivermos entendido há muito que quando termina é porque acabou.
"Abençoados os que esquecem, pois aproveitam o melhor dos seus equívocos." (Friedrich Nietzche)

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Festival de Inverno


Dizer que foi maravilhoso é pouco. Pedro II prometeu e cumpriu, superou minhas expectativas. Os shows foram excelentes e mesmo a cidade estando lotada, não senti falta de nada. Revi pessoas queridas, minha madrinha que é um amor de pessoa, meu padrinho que me mima mesmo que eu não seja mais uma menininha, meus primos doidos, minhas amigas phynas, a cidade em que morei quando criança, fiz novas amizades, enfim, não tinha receita de sucesso melhor, concordam? E isso sem falar em mais uma viagem de carro, com minha motorista favorita, Carol, ao som da minha cantora favorita, Ana Carolina. Perfeito, né?
Ana Carolina sempre conosco nas viagens
Chegamos na quinta à tarde e já aproveitamos para dar uma volta na cidade, circulamos pelo Bar Lá-Kondê, um dos bares mais antigos da cidade e point preferido de todo mundo. Óbvio que encontrei um monte de gente e aproveitei também para olhar os passeios turísticos que prentedíamos fazer: Visita ao Buritizinho e ao Museu da Roça e trilha da Cachoeira do Salto Liso e Gritador. Fechamos o pacote de tudo, menos o Museu da Roça e saiu apenas R$ 20,00 por pessoa. Digam se não vale super a pena? Então, deixamos tudo acertado pro dia seguinte e começamos a curtir o Festival.
Lu
Descansamos até umas 21h, depois nos arrumamos e fomos pra praça, a primeiro pessoa que encontrei foi a Lu, toda trabalhada no profissionalismo, rs, uma bombeira disposta a apagar qualquer fogo! [Lu, não me mata pela piadinha, tá?] Ela estava em Pedro II à trabalho, mas de qualquer forma dava para aproveitar bastante, inclusive até fez uma visitinha à madrinha, que a recebeu cheia de saudades.

Lya
Também encontramos minhas amigas de Pedro II, incluindo a Lya, que eu estava morrendo de saudades, falei dela a semana inteira no twitter. Sabe aquela pessoa que você não vê sempre, mas que a amizade que você tem por ela nunca morre? Continua lá e sempre te faz bem, quando você a reencontra nem parece que se passou um dia sem se verem? Ela é assim para mim, eu a conheço desde sempre, desde criança, nem faço ideia de um dia em que ela não tenha sido minha amiga, não a melhor, mas a de sempre, como ela mesmo diz. E por ela tenho um carinho mais que especial e verdadeiro.
Tem maracuchaça em Pedro II!
O show da Fernanda Takai foi muito bom, a voz dela é toda delicada e perfeita, só senti falta de músicas da época do Pato Fu, que eram as que eu mais conhecia, mas o repertório dela solo está recheado de Nara Leão, que eu não conheço muito, mas mesmo assim curti. Tomamos maracuchaça pra esquentar e batemos muuuito papo com as meninas. Coisa boa assim... de graça!
Carol, Júnior, eu e Jullierme (primos!)
Vai com calma, Carol!
Museu da Roça
A sexta foi cheia de aventuras, começamos o dia visitando o Museu da Roça, um lugar cheio de histórias sobre Pedro II, seus primeiros moradores, suas lendas, a descoberta das minas de opala, além da casa típica do século passado, contando, inclusive, com uma cozinha caipira com fogão à lenha. O Museu tem um espaço de plantação de ervas medicinais, santuário, redódromo, um gruta com a fonte dos desejos e lanchonete para os visitantes. Muito fofo, eu adorei!
Objetos do Museu
Penteadeira - quarto típico do século passado
P2
Fonte dos Desejos
Santuário
Adoreeeei essa placa!
Caminho da felicidade
Mexe o caldeirão, Carol!
Pilão
*.*
Um lugar pra ser feliz!
Com o calor, deu até vontade de dar um mergulho...
Depois do passeio ao Museu da Roça, visitamos o Sítio Buritizinho, um lugar onde a gente confere de tudo um pouco que tem na roça como moagem de cana (as vaquinhas ficam rodando, rodando, rodando... tadinhas!), pratos típicos, beju (tapioca) feito na hora, rapadura e alfenim feitos no tacho fumegante para todos verem e até um trio de forró pé-de-serra para animar a galera. Pense num lugar bom para passar o dia todo!
Forrozinho bom danado!
Beju de farinhada
Tachos de rapadura
Pão de queijo... nham-nham!
Foi difícil deixar o Buritizinho, mas a gente queria muuuito ver a cachoeira (no meu caso, de novo! rs), então continuamos o passeio de picape até o local mais próximo, já que para chegar na cachoeira é necessário fazer uma trilha em mata fechada de aproximadamente 30 minutos. Não, nós não estávamos ansiosas por essa parte do passeio, mas já que não podíamos dispensar, encaramos com força de vontade, rs. Obviamente, o visual é de tirar o fôlego e o banho nas águas geladas vale qualquer esforço.
Cachoeira do Salto Liso
Nós
Mas, nem tudo foram flores no passeio à Cachoeira. Infelizmente, o guia nos deixou (eu, Carol e mais algumas pessoas) por conta própria na volta, com a desculpa que iria atrás de algumas pessoas que tinham ido na frente. Cada um tentou voltar pra picape à sua maneira e nós tentamos voltar pela trilha que viemos, mas logo vimos que não conseguiríamos, então voltamos à Cachoeira e tentamos outra trilha que estava mais movimentada. Seguimos o rastro *Speedo* do calçado de um dos rapazes que estavam no nosso grupo e conseguimos chegar à picape depois de 1 hora de caminhada ao todo. Gente, tadinho do guia quando o encontramos, suadas, esbaforidas, cansadas, hahahaha! Ele ficou tão sem graça, tentanto se explicar todo confuso, que no final acabamos com peninha dele. O bom foi que deu tudo certo e seguimos pra parte final do passeio, o Mirante do Gritador e uma visão perfeita da Serra.
Gritador
Carol e eu
Chegamos em casa cansadas, mas muito felizes com o passeio, apesar dos contratempos. Recomendamos a todos, quem vai a Pedro II não pode deixar de fazer esses passeios. Aliás, pelo menos esses que são os principais, porque a cidade oferece muito mais.
O show de Zeca Baleiro foi debaixo de chuva, mas nem por isso deixou algo a desejar. Muuuito bom mesmo, ele cantou os sucessos que levaram a multidão a cantar junto e não se importar com a chuva que desabava do céu. Carol e eu conseguimos até comprar um guarda-chuva no meio da confusão!
Carol, eu, Lya e Andréa

Eu e LyaCarolzinha linda
Olha a chuuuuva!
Rafael tá em todos os lugares!
Encontrei muita gente em Pedro II, pessoas de Teresina, Parnaíba, de todo canto do Piauí foram conquistadas pelo sucesso do evento. Claro, que o Rafael também estava lá, já que ele não perde nada, rs. Outra amiga querida que esteve por lá foi Natália, minha doidinha preferida, com ela não tem como não sorrir a cada três segundos! Uma pessoa que é impossível não admirar pelo carisma e alegria contagiante!
Naty, eu e Carol
Mas sem dúvida a maior surpresa do Festival foi conhecermos duas pessoas muito queridas que hoje já consideramos amigos. Não faço segredo do fato de que a gente se abre muito mais às pessoas, amizades, possibilidades, quando estamos solteiras. Não estou querendo dizer que vamos pegar geral nas viagens, rs, não tem nada a ver, só que namorados não compreendem que a gente pode fazer amigos sem interesse nenhum. É, concordo que é meio complicado mesmo. Mas minha experiência com viagens me mostrou que solteira eu posso conhecer tanta gente legal, coisa que eu não daria opotunidade se estivesse comprometida.
Bom, mas o que importa é que Airton deu um jeito de se enfiar no nosso guarda-chuva, todo falante e entrosado. Logo descobrimos que ele e o amigo, Eduardo, muito mais tímido, trabalhavam na UFPI, em Teresina, descobrindo em seguida um monte de amigos em comum. Conversamos, trocamos telefone e não conseguimos mais nos desgrudar!
Airton, eu e Eduardo
A galera
No sábado, eu e Carol esticamos a viagem até Teresina, eu tinha dentista inadiável (outra hora eu conto da minha saga rumo aos dentes perfeitos, tá?). Encontramos Martha #melhoramigadomundotodo no shopping, almoçamos (a última coisa sólida que consegui comer por dias) e seguimos pro dentista. Logo depois de uma passadinha rápida na casa da mamys, estávamos na estrada de volta a Pedro II, porque o show da Maria Rita era imperdível!
Ela cantou de tudo e encantou a todos. Ela só é filha da Elis, né? Hahahaha! Finíssima, elegante e toda boa num vestido justinho de paetês! #morrideinveja.
O melhor lugar pra assistir o show! Kkkkk! (Lya, eu, Sharlene, Maria e Andréa)
Meu primo Juju e nós
Nós e o vulto da Maria Rita lá atrás
Carol, Felipe, Fernanda e eu
Meninas
Ooow pernão, Maria Rita!
Depois do show da Maria Rita fomos pro Planeta Diário. Bom, na verdade, uma instalação do Planeta em Pedro II, num jardim grandão de uma casa, com palco armado, iluminação, ambiente eletrônico, bar e tudo mais. Nem lembro que bandas estavam tocando, mas a gente não queria era que a festa acabasse! Último dia, tínhamos que aproveitar ao máximo! Como diria Natália: 'território amigo'!
Planeta
Déééé
'Puliiiiça' (a tenente Sharlene em momento descontração total, rs!)
Gheysa (eita, maguinha difícil!)
A farra só acabou de manhã, depois de tomarmos o café (aliás, eu não, as pessoas que conseguiam comer). Eu e Carol dormimos até umas 11h e acordamos com o Airton no telefone nos cobrando ir no Buritizinho, como havíamos combinado. Fomos, é claro, Buritizinho lotado, todo mundo comendo um monte e eu só no creme de galinha (tenham pena de mim, por favor?!?). Sei que foi muito divertido, conversamos horrores com os nossos novos amigos, tomamos umas cervejinhas, não nos arriscamos no pé-de-serra, mas Carol encontrou uma super diversão que foi enrolar o alfenim que comprou lá mesmo, geeente, parecia criança, super concentrada! E eu, na maior vontade e sem poder comer, alfenim é a cara da minha infância!
Carol e o alfenim - a saga
Ainda passamos na praça da Igreja Matriz pra dar uma olhada nos standes por lá. Muitas opalas lindas pra comprar, assim, uma tentação! É claro que as pessoas me fizeram mais inveja comendo acarajé, enquanto eu só conseguia tomar sorvete por causa dos benditos separadores que o dentista tinha me colocado, mas é a vida, né? Pelo menos eu emagreci, rs!
Voltamos pra Parnaíba sem vontade nenhuma, lá pelas 18h, nos despedindo, mas já com vontade de voltar. E claro, combinando tudo para visitas aos nossos novos amigos em breve. Aliás, coisa que eu já fiz, pois tive que voltar em Teresina na semana passada para tirar os separadores, fazer o molde do meu aparelho e conversar com o meu médico sobre minha cirurgia buco-maxilo, que, enfim, vai mesmo sair.
O saldo da viagem foi mais que positivo, foi perfeito. Já temos planos de estar presentes no Festival do ano que vem, que segundo meu primo está tentando levar Ana Carolina para a 8ª edição. Gente, vocês tem noção do quanto eu vou enlouquecer, né? Me segurem porque eu vou pirar, hahaha!
Bom, claro que está tudo atrasado por aqui, recebi um monte de cobranças no twiter, mas já tenho vários posts em andamento, não vou sumir mais, prometo. Só posso culpar, além das viagens no meio da semana, ao final de período e o meu relatório de estágio, mas já já tô de férias e voltamos à programação normal.
Mas não posso terminar este post (que já está imenso!) sem mostrar para vocês o email lindo que me pegou totalmente desprevenida esta manhã e (sim!) me fez chorar!
Contradição
Olhe, já cansei de escutar e ler que não é boa com números, que a matemática não é a sua área, porém, eu como um bom apreciador da área quantitativa, estudioso da área das ciências exatas, acho que você é muito boa com as operações matemáticas, sim. Você me ensinou que se dividindo o guarda-chuva, conseguimos somar novas amizades, que se dividindo simpatia, multiplicamos sorrisos. E que sorriso você tem, encantador, conquistador e que transforma em um exponencial a satisfação de estar do seu lado. Observei que sua alegria não segue uma distribuição normal, pois nunca fica abaixo da média, eis uniformemente alegre, feliz de bem com a vida, se todo depressivo tivesse uma amiga como você, psiquiatra estava extinto.
Agora parei para pensar, subtrair você sabe também? Espero que não, pois, não quero ser subtraído nunca de sua vida.
Um grande abraço e um grande beijo do seu mais novo grande amigo.
Obs.: Tive a idéia de lhe escrever isto quando estava lendo 'das pessoas lindas do blogworld', quando você fala os elogios que costuma receber, neste texto você cita mais uma vez que a matemática não é sua amiga.

Grande Abraço, Airton Jr.
Agora diz se não é um fofo? Um querido com um coração enorme que me deixa totalmente convencida o tempo inteiro! Agradeço muito a Deus porque em minha vida sempre há pessoas especiais onde quer que eu vá e para essas pessoas sempre vai existir um espaço no meu coração, nunca, nunca, nunca serão subtraídas, viu, meu amigo atuário?
Beijos, beijos, que hoje eu já descontei todos os atrasados!
Post relacionado: