quarta-feira, 23 de junho de 2010

A doçura de ser só

Não vou dizer que estou na fase mais feliz da minha vida porque eu nunca fui uma pessoa triste, agradeço a Deus todos os dias o fato de ter muitas coisas de que me orgulhar e que me orgulho de todas elas. Mas estou numa fase ótima, isso transparece nos meus olhos para quem quer que me conheça, não posso negar. Até um professor meu veio me dizer esses dias que estou com uma aparência muito serena, que pareço uma pessoa mais feliz. Eu estou bem, tranquila, despreocupada. Curtindo minha vida, minhas viagens, minhas músicas, minhas vontades, meus amigos. Amadureci. Hoje eu sei o que quero pra mim e o que estou disposta a conceder por causa disso.
Não é que eu seja mais bem resolvida que ninguém, eu só me aceito e procuro fazer o melhor que eu puder com isso, descobri o que me faz bem e o que me faz mal e estou tentando tirar do meu caminho as coisas que me atormentam. Eu não estou amarga, nem tenho a intenção de me tornar, não deixei de acreditar no amor, só que hoje meus olhos estão mais realistas. Eles ponderam sobre o que vejo todos os dias e não conseguem mais olhar o mundo através das lentes cor-de-rosa de antes. A realidade se impõe, não adianta fazer disso uma impossibilidade, a capacidade de se adaptar decide quem vai sobreviver desde a pré-história - já dizia Darwin.
Eu sei que o fato de me sentir bem sozinha parece papo de quem está morrendo de dor de cotovelo e quer forçar a barra, mas sabe? Nem me abala. A minha paz de espírito não tem preço. Tenho me sentido tão bonita, tão legal, tão inteligente, tão bem, de verdade, que o fato de alguém duvidar disso só me faz ter vontade de rir.
E não estou procurando um namorado, não tem me feito falta. Nem estou desiludida do amor nem nada disso. É só algo que eu sei que não estou preparada pra enfrentar agora. É mais do que não querer, é saber que não estou pronta pra me jogar de cabeça, pra amar, confiar, querer construir uma relação. Eu não sei amar pouco, quero muito, sou derramada. Contraditório? Talvez. Mas ser realista não quer dizer deixar de sonhar, mas escolher os sonhos em que se pode investir.
O que me deixa tranqüila e que as pessoas não entendem é o fato de eu saber que é fase, que um belo dia vai simplesmente acontecer de novo, vou me apaixonar e fazer muitos planos, aprender mais um tanto, viver momentos lindos. Faz parte da vida. Só que não vai ser agora e eu não estou com um pingo de pressa.

9 comentários:

Luciana Lís disse...

Tá lindo, Ju.
Transparacendo a força e os nós que já foram desatados.

;)
;***

Lawrence Tayller disse...

Essa paz de espirito é o reflexo de sua alma. Parabens pelas atitudes e continue assim.
Por Lawrence Tayller

Livia disse...

Por mais que se diga que está tudo bem, as pessoas não acreditam. Sei como é. Pensam que nos tornamos amargas e que não acreditamos no amor. Paz de espírito, tô encontrando a minha. Mas aí vem o amor e bagunça tudo de novo, essa é a realidade! Beijos, te amo.

Zingara disse...

Eu poderia ter escrito esse texto, se fosse tão habilidosa com sentimentos como você.

O desfecho me arrepiou: O que me deixa tranqüila e que as pessoas não entendem é o fato de eu saber que é fase, que um belo dia vai simplesmente acontecer de novo, vou me apaixonar e fazer muitos planos, aprender mais um tanto, viver momentos lindos. Faz parte da vida. Só que não vai ser agora e eu não estou com um pingo de pressa.

Me vi no texto, mas diferente de você, eu estou triste em não querer amar de novo.

.Intense. disse...

Fiquei lembrando dos emails - seu post é uma explicação completa pra coisas que vc diz por alto qdo me escreve. E, sim, aham, te acho mto bem resolvida, amiga, e muito mais do que eu, com certeza.rs

O bichinho da calma está me mordendo, devagarzinho...já passei um tempo solteira, e tb já passei um tempo sozinha, e sei que ambos são bons - podem ser bons - à sua maneira. E, mesclando seu post e o coments da Zin: eu qro mto voltar a amar um dia. A ter carinho, querer cuidar, aprender a fazer planos (que isso eu nunca soube) juntos, pensar no futuro, me preparar pra ele...mas não acredito que isso vá acontecer. Estou pragmática como aquela amiga sua, achando que nunca mais vou amar novamente.rs...

Torço pra que eu esteja errada e, vc, certa - e que o amor volte um dia a aparecer nas nossas vidas, mas no tempo certo.

;)

Amo vc, flor, em excesso, intenso, e vermelho!
=*

Michelle disse...

Só a gente p/ saber o que realmente nos faz bem né?! Desencanei de me preocupar com o que as pessoas pensam, não me importo, e p/ ser bem sincera não quero nem saber.

Tb passei por essa fase, depois do término de um namoro longo. Curtir muito,viajei,dancei,festas e mais festas,filmes,livros e muitos novos amigos. Mas quer saber, nesse aspecto sou um pouco diferente de vc...mesmo depois do término,estava preparada p/ amar de novo, e por mim seria o mais rápido possível rsrsrs... Na verdade sempre estive aberta p/ isso... sempre.

Mas não aconteceu, eu não conseguia gostar,comparava, tentei algumas vezes... mas não deu.

Continuo tentando,ainda não achei,mas um dia ele aparece,e eu estarei bem aqui esperando por ele, não parada, mas vivendo sempre o melhor da vida.


Bjus Flor *__*
(Lindas palavras como sempre)


(Flor da Pele)

Juliana* disse...

Que linda você, Juju.
Parabéns pois você conseguiu algo que muitas pessoas levam anos para conseguir: estar em paz com você mesma...e isso nos faz muito feliz.


beijos

Juliana

Constância disse...

Ah! a maturidade...
Paz de espírito é bom né? Recomendo sempre!
bjks

diadesopa disse...

Só a maturidade traz esse gosto pela paz de espírito. Depois de um tempo a gente descobre - a duras penas, diga-se - que nada, nem ninguém vale a nossa paz.

Por hora, tenho gostado tanto tanto de ser muito minha, que não ouso cogitar ser de ninguém. E não importa que pensem que é discurso feminista (embora eu seja feminista confessa) ou amargura, whatever.

Super te entendo.
E assino embaixo.

Beijinho, Ju