terça-feira, 31 de agosto de 2010

Blog Day 2010

Como todo mundo está comemorando e se confraternizando no dia mundial dos blogueiros, também vou participar, indicando para vocês cinco blogs que eu gosto muito. Acho a ideia de transformar o dia 3108 (já que a numeração se assemelha a palavra 'blog') interessante, assim como a proposta do Blog Day:

“O BlogDay foi criado na convicção de que os bloggers deverão ter um dia dedicado ao conhecimento de novos blogs, de outros países ou áreas de interesse. Nesse dia os bloggers recomendarão novos blogs aos seus visitantes.

Durante o dia 31 de Agosto, bloggers de todo o mundo farão um post a recomendar a visita a novos blogs, de preferência, blogs de cultura, pontos de vista ou atitude diferentes do seu próprio blog. Nesse dia, os leitores de blogs poderão navegar e descobrir blogs desconhecidos, celebrando a descoberta de novas pessoas e novos bloggers.”

Instruções para o BlogDay:
1-
Indique 5 blogs
2-
Avise a esses 5 que eles foram indicados por você
3-
Escreva uma pequena definição de cada blog indicado
4-
Poste no dia 31 de Agosto
5-
Cole no seu blog o selo do BlogDay.
Vou tentar sair do óbvio, ou seja, os blogs mais citados por aqui e falar de blogs que estou começando a conhecer ou que tenham abordagens diferentes da minha, certo?
Caras como eu - Gabito Nunes, que além de ser um excelente escritor, é um entendedor da alma feminina.
Manual do Cafajeste (para mulheres)
- Cafa, que de forma direta e precisa nos apresenta o universo masculino como ele realmente é.
Trendy Twins - Ana e Vivi, nos mostram novidades, dicas e muito mais do mundo de makes, moda e estilo.
Sem bolso - Daniel, só precisa dizer que ele é um brasileiro que mora em Londres e ganha a vida fazendo faxina pelado e é claro que rende as melhores histórias.
para Francisco, - Cristiana Guerra, tudo bem esse eu não conheci agora, tenho o livro e já li inteiro, mas se é pra indicar um blog bacana esse não pode ficar de fora.
É isso, beijos, beijos!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

.tudo o que não foi.

"Chorar por tudo que se perdeu, por tudo que apenas ameaçou e não chegou a ser, pelo que perdi de mim, pelo ontem morto, pelo hoje sujo, pelo amanhã que não existe, pelo muito que amei e não me amaram, pelo que tentei ser correto e não foram comigo. Meu coração sangra com uma dor que não consigo comunicar a ninguém, recuso todos os toques e ignoro todas tentativas de aproximação. Tenho vergonha de gritar que esta dor é só minha, de pedir que me deixem em paz e só com ela, como um cão com seu osso. A única magia que existe é estarmos vivos e não entendermos nada disso. A única magia que existe é a nossa incompreensão. " (C.F.A)
Não é como se eu tivesse ficado apaixonada, porque desde o início eu soube que isso estava longe de acontecer, mas saber que alguém está infeliz por minha causa não é a melhor sensação do mundo. Claro, sofre mais quem gosta, só que não tem como causar sofrimento sem sofrer também, isso, é claro, se você tiver o mínimo de consciência. Acho que tem certas coisas que me atingem mais que à outras pessoas, afinal, cada pessoa se importa com coisas diferentes, mas eu realmente fico abalada quando alguém me dedica sentimentos que não posso corresponder. Não sei lidar com isso.
Também penso na lei do retorno, o que eu não quero pra mim, procuro não fazer aos outros. Nem sempre consigo, mas tento ser o mais coerente possível. Já pisei na bola, já cometi erros como qualquer ser humano, também tenho meus momentos de fraqueza e indecisão, mas dessa vez procurei ser sincera do início ao fim, por mais que isso magoasse no momento, foi melhor do que incentivar algo que eu sabia que não daria certo. E tudo por minha culpa, porque eu não estou preparada para amar de novo, para lidar com relacionamentos e tudo o vem junto no pacote. Ainda tenho mágoas para resolver com o meu 'eu', não posso jogar toda a responsabilidade disso em cima de uma pessoa, mesmo que a pessoa em questão não se importe com esse detalhe.
É complicado. Principalmente quando a pessoa não te cobra nada, te quer de qualquer jeito, mesmo que esteja dando infinitamente mais do que está recebendo. E você não sabe mais o que fazer, como acabar com a felicidade de alguém que só te faz bem, que só te quer bem, mas mesmo assim não é o que você quer?
Por um tempo andei indecisa, me entristeci, fiquei mal comigo mesma, fui levando a situação como se os problemas se resolvessem sozinhos, mas uma hora a realidade te sacode, as coisas se complicam e você tem que tomar uma decisão. Chegou a minha hora e tive que ser egoísta, decidi o que era melhor para mim. Afinal, eu tive que escolher entre a felicidade de alguém e a minha e não sou a melhor pessoa para ser imparcial nesses momentos. Tomei uma decisão que eu sabia que poderia lidar, apesar de tudo.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Desafio Literário Julho - O retrato de Dorian Gray

Título original: The picture of Dorian Gray
Publicado em: 1890
R$: emprestado do Eduardo 'mau caráter', mas tem até de R$ 12,90 nas Americanas.
Sinopse: O retrato de Dorian Gray conta a história de um jovem inglês, Dorian Gray, que é extremamente bonito e inocente . O jovem Dorian é o modelo preferido do pintor Basil Hallward, é neste contexto que a história começa. Enquanto posa para Basil, Dorian conhece um lorde, Henry Wotton, extremamente irônico e que o vai influenciar de modo decisivo. E é quando Basil Hallward completa um retrato de corpo inteiro de Dorian Gray que a história começa a se desenrolar com mais interesse. Dorian fica tão encantado com o retrato que formula um desejo: ficar jovem para sempre e que o quadro envelheça por ele. Ele deseja tão ardentemente que está disposto a dar a alma por esse milagre. E é somente quando tem uma atitude cruel e nota uma pequena alteração no seu retrato que percebe que seu desejo foi atendido.
Sobre o autor: Oscar Wilde nasceu em 16 de outubro de 1854 em Dublin, Irlanda. Foi educado no Trinity College, Dublin e mais tarde em Oxford. Lá ele recebe a influência de Walter Pater e da doutrina da "arte pela arte". Em 1879, vai para Londres, para estabelecer-se como líder do "movimento estético". Em 1881 é publicada uma coletânea de seus poemas. Em 1882, sem dinheiro, aceita participar de um ano de viagens entre USA e Canadá. Essa viagem lhe rendeu fama e fortuna. Em 1884, casa-se com a bela Constance Lloyd. Com a publicação de "O Retrato de Dorian Gray", sua carreira literária deslancha. Oscar e Constance tiveram 2 filhos, mas uma noite, Robert Ross, um hóspede canadense jovem, seduziu Oscar e forçou-o, finalmente, a confrontar-se com seus sentimentos homossexuais que o perseguiam desde a época em que era estudante. Anos depois, Oscar foi preso com acusações de conduta homossexual e sentenciado a 2 anos de prisão com trabalhos forçados. As condições calamitosas da prisão causaram uma série de doenças e o levou às portas da morte. Foi declarada, ainda, sua falência. Morreu como um homem arruinado em 30 de novembro de 1900.
[CONTÉM SPOILLERS]
O pintor Basil Hallward começou a pintar com extrema perfeição um retrato de um belo jovem de 21 anos chamado Dorian Gray. Enquanto Dorian posava, ele conheceu Lorde Henry Wotton, amigo de Basil. Lorde Henry é um homem inteligente, sarcástico, hedonista. Admirando a beleza do rapaz e a reprodução desta no quadro, Henry comenta que a beleza humana acaba com o passar dos anos, porém, o retrato a imortalizaria junto com a juventude. O belo rapaz, ouvindo o comentário de Henry, faz um pedido impensado enquanto a noite londrina trovejava e enviava raios que iluminava a sala fantasmagoricamente. O desejo de Dorian é que o retrato envelhecesse em seu lugar. Um estrondoso trovão faz-se ouvir após as palavras do rapaz.
"Que tristeza! Eu envelhecerei, ficarei horrível, medonho. Mas esse quadro sempre se manterá jovem. Nunca será mais velho do que esse dia de junho… Se fosse o contrário! Se fosse eu que me mantesse jovem e o retrato que ficasse velho! Por isso, — por isso — Eu daria tudo! Sim, não há nada no mundo todo que eu não daria por isso."
Basil tem pelo rapaz um sentimento exagerado e o previne do caráter amoral de Henry. O Lorde é irônico, mordaz e cativante. Dessas pessoas que você pode não concordar com as opiniões, mas as justificativas, a retórica e a argumentação dele faziam que o respeitassem. De longe, um dos melhores personagens que eu já vi, uma pessoa de pensamento tentador e perigoso. Lorde Henry sente-se desafiado pela aparente inocência do jovem Dorian e torna-se amigo e companheiro de diversões dele, que passa a preterir Basil, que se sente arrasado e tenta sem sucesso prevenir o rapaz.
Surge o amor no coração do jovem. Ele conhece uma moça de dezessete anos que interpreta heroínas de Sheakspare em um pequeno teatro. Ele resolve casar-se com a moça e convida os amigos para conhecê-la. Na noite em que Dorian leva Basil e Henry ao teatro, a moça emocionada interpreta mal fazendo com que o rapaz se sinta humilhado e decepcionado. Ao cair do pano, ele procura Sibyl mostrando-lhe sua decepção e dizendo que não mais a ama, deixando a moça desesperada, humilhada e desprezada. Virou lhe as costas para nunca mais voltar. Ao chegar em casa, Dorian, dirigiu-se a seu quarto e, ao olhar seu retrato, percebeu que o quadro havia se alterado. Seu sorriso não era mais o mesmo. Caracteriza-se pelo cinismo e maldade. Refletiu e percebeu que o quadro refletia sua alma. Portanto, deveria desculpar-se com Sibyl, assim o quadro voltaria ao normal. Entretanto, era tarde demais, Sibyl havia cometido suicídio.
A partir de então, Dorian passou a viver tudo que lhe era ou não permitido. Passou a ter uma conduta fria e interesseira com todos à sua volta. Induziu pessoas a atos vulgares e criminosos, seduzindo e destruindo vidas, sempre impune. Dorian descobre que permanece belo e jovem e que o seu retrato, aos poucos, vai assumindo expressões vis e de envelhecimento. Passa a odiar o retrato e o transfere para o sótão de sua casa. Passados alguns anos Dorian recebe a visita de Basil, ele não suporta o diálogo com o pintor, que lhe mostra quem ele era e no que ele se tornou, Dorian acaba por matá-lo, como se quisesse a própria obra, que tanto o incomodava, exterminar. Leva outro amigo, um químico, ao suicídio após induzi-lo a desfazer-se do cadáver de Basil. Apenas o quadro se alterava, transformando-se numa figura monstruosa.

O irmão de Sibyl Vane retorna da Austrália, para onde havia partido em busca de emprego, como faziam os demais desprotegidos da sociedade inglesa. James Vane busca o sedutor da irmã para matá-lo, vigiando-o, à espreita de uma oportunidade para conseguir seu intento, porém, morre em um acidente de caça da qual Dorian participava, então pensou em curar sua alma. Pensou em levar uma vida pura, sem magoar quem quer que fosse. E por isso não se aproveitou de uma camponesa. Ele se dá conta de que sua soberba o levou a esta vida de pecados. Amaldiçoou sua beleza e mocidade e pensou que sem elas sua vida seria pura. O que mais lhe doía era a morte, em vida, da sua alma. A visão daquele rosto marcado por maldades e velhice o aterroriza.
Finalmente, decidido e acabar com seu tormento, perfura seu retrato com o mesmo punhal que assassinou o pintor para que sua vida voltasse ao que era antes de conhecê-lo. Um grito angustiante é escutado por toda a cidade. No dia seguinte, o mordomo arromba a porta do sótão onde Dorian estava e é encontrado o retrato em sua forma original, com o semblante de juventude e beleza e, ao lado dele, morto, um velho de expressão triste e enrugada.,só o anel o identifica.
Embora a história do livro seja interessante, são os diálogos, especialmente os de Henry Wotton, que realmente o enriquecem. É a escolha de palavras, o texto. Além disso, a temática dele é atemporal. Podem até dizer que é uma crítica ácida a sociedade inglesa do século XVIII, mas o livro é muito mais do que isso, a crítica que nele se encontra é atual: a beleza realmente tem essa importância toda? Será que podemos culpar aquelas meninas cujo o maior sonho é posar nua na Playboy se o que a nossa sociedade realmente valoriza é isso mesmo, a beleza? Será que elas simplesmente não estão jogando conforme as regras do jogo? Se a garota é bela, porque aprimorar-se? Não é melhor uma vida hedonista, aproveitando os prazeres momentâneos sempre? O livro dá muito em que pensar. E estou louca para ver o filme, com o gostoso do Ben Barnes no papel de Dorian, mentindo o 'mau caráter' que vai gravar pra mim.
Falando nele, vou rasgar uma seda aqui pro meu amigo, que canta super bem, Eduardo, se garante muito (meu amigo, meu orgulho, own!), quem quiser conferir, dá uma olhadinha nesse vídeo do Youtube, é uma música da banda dele, RasMandu.
O próximo livro é um romance policial e seguindo a indicação da Natália e da Lu, vou ler O caso dos dez negrinhos, como eu já havia dito mesmo, só que ainda nem comecei, mas o livro é pequeno, leio rapidinho. Já estou no segundo livro do Dexter, que também daria uma ótima resenha para este mês, mas primeiro vou terminar a trilogia, depois escrevo alguma coisa para vocês também se apaixonarem por esse serial killer que mata apenas outros serials killers, gente, a forma da narrativa, na pessoa do próprio Dexter é muuuuito interessante! Mas isso depois eu conto, prometo!
Posts relacionados:

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Desafio Literário Junho - Doidas e Santas

Título: Doidas e Santas
Publicado em: 2008
R$: emprestado pela Lu, mas tá em promoção, R$ 21,40 no Submarino.
Sinopse:
Doidas e Santas reúne cem crônicas que falam direto ao coração de suas leitoras e seus leitores. Nelas, Martha expõe os anseios de sua geração e de sua época, tornando-se uma das vozes mais importantes entre as recentemente surgidas no cenário nacional. As alegrias e as desilusões, os dramas e as delícias da vida adulta, as neuroses da vida urbana, o prazer que se esconde no dia-a-dia, o poder transformador do afeto, os mistérios da maternidade, enfim, o cotidiano de cada um de nós tornou-se o principal tema da autora.
Sobre a autora: Martha Medeiros, poeta, cronista, romancista, conquistou o Brasil com seus textos, publicados em jornais de repercussão nacional, sites e livros que se transformaram em best-sellers.
Doidas e Santas é um livro que reúne cem crônicas de Martha Medeiros já publicadas em jornais, revistas femininas, internet, etc. Com certeza você já leu pelo menos uma das crônicas desse livro. Não dá pra narrar uma história, o cotidiano é inspiração da autora. Dona de uma sensibilidade incomum, Martha Medeiros tem para tudo um olhar, uma reflexão e uma reação fresca, nova, de alguém que pela primeira vez se depara com o inesperado, seja o assunto o Dia dos Namorados, a decisão de se começar a fumar, um sentimento de desconforto por qualquer coisa, uma paranóia que se imiscui na consciência ou um amor que acaba. Sempre terna e indignada, amantíssima da cultura contemporânea e dona de um imbatível senso de humor, em suas crônicas – assim como em sua poesia – Martha torna, para todos nós e com muita destreza, mais concreto o intangível da vida.
Bom, é claro que essa resenha está muitíssimo atrasada, mas em minha defesa tenho a dizer que li o livro ainda no mês de junho, só não tinha feito a resenha e como não quero desistir do desafio, resolvi publicá-la mesmo atrasada. A resenha de julho, que requeria que eu lesse um livro que houvesse sido adaptado para o cinema, mas que eu não houvesse assistido ainda, também sairá em breve e foi uma leitura deliciosa de O retrato de Dorian Gray, emprestado de um amigo muito querido, Eduardo 'mau-caráter'. Enfim, ainda não comecei a ler nada para a resenha de agosto, tô muito impressionada com Dexter - a mão esquerda de Deus, mas como a Natália e a Lu já sugeriram, vou ler O caso dos dez negrinhos, da Ágatha Christie, assim que a internet me ajudar a baixar, certo? Vou colocar tudo em dia muito em breve, confiem!
Beijos, beijos e bom final de semana!
Posts relacionados:

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Meme 'Esse blog me faz sorrir'

A Talita me indicou para fazer esse meme e apesar de estar totalmente desorganizada com meus posts e visitas, vou tentando colocar tudo nos eixos. Eu tenho que dizer 9 coisas sobre mim e indicar 9 blogs que me fazem sorrir.
1 - Sou louca para morar fora. Fazer um intercâmbio, mestrado, enfim, ter a experiência de morar e estudar fora do país, principalmente se for na Espanha ♥ (Madri, Barcelona), mas não me incomodaria de morar na Inglaterra (Londres), França (Paris) ou Itália (Roma). Obviamente a viagem teria data de retorno, não consigo ficar muito tempo longe das pessoas que amo.
2 - O mundo dos blogs entrou na minha vida através de um blog que fiz para compartilhar uma história de amor com meu namorado na época, que hoje é ex. O blog Dois corações e uma história não existe mais, mas o Vermelhas Unhas chegou para ficar na minha vida.
3 - Não gosto de nenhum tipo de jogo: online, tabuleiros, cartas, celular, etc. Não tenho paciência.
4 - Também não tenho muita paciência para novela. Me dá uma preguiiiiça de acompanhar todos os dias.
5 - Amo de paixão livros e filmes, são minha fraqueza, meu vício (mas ó, eu podia tá 'matano', eu podia tá 'robano').
6 - Fiz vários amigos através dos correios, comecei a corresponder aos 15 anos, sempre tive essa necessidade de escrever. Ainda hoje tenho contato/amizade com algumas dessas pessoas. Como já disse várias vezes, coração não entende nada de geografia.
7 - Tenho fobia de injeções. Verdadeiro pavor. Sério. Por isso não dôo sangue, mas acho super bonita a atitude de quem doa.
8 - Adoro sobremesas, sorvetes, musses, chocolates, pudins, nham-nham. Morro de medo de ter diabetes (tenho muitos casos na família) e não poder comer de tudo. Mas também como coisas saudáveis, saladas, frutas, etc.
9 - Sou péssima em esportes, mais descoordenada impossível. Se fosse para competir com a Bella (Crespúsculo), acho que ela ganharia de mim fácil. Mas, atenção, eu danço que é uma beleza! Forrozinho, então!
Os blogs que me fazem sorrir (além do More than words), sempre:
Jady
e seu bom humor constante.
As meninas do Corporativismo Feminino e suas opiniões muito embasadas acerca do universo que nos cerca.
Bel e seu ombro sempre disposto.
Dani e sua amizade imprescindível.
Faxina e sua criança interior sempre ativa.
Lu Brasil e sua prole sempre cheia de novidades.
Natália e suas tirinhas da Mafalda.
Lu e suas palavras tão fortes e belas.
Beijos, beijos!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

.o que eu também não entendo.

Eu não consigo me entender. Não mesmo. Acabei de dizer isso pra Jaque e percebo que é a mais pura verdade. Eu sei que não vai dar certo, que não é o que eu quero, que essa história ainda vai ser alvo de muita confusão. Mas continuo me deixando levar pelas situações, pelos sentimentos de outras pessoas, pela minha indecisão. Eu nunca soube lidar muito bem com pessoas que dizem gostar de mim sem que eu corresponda da mesma maneira. Sentimentos contraditórios se misturam dentro de mim, não se resolvem. Eu converso com meus amigos e eles não me entendem, como podem se nem eu me entendo?
Sou a principal prejudicada da história, perdi amigos, sou alvo de comentários maldosos, fofocas, olhares atravessados. Não sei o que fazer, não sei o que pensar de mim mesma. Sinto vergonha da minha inércia e ao mesmo tempo vejo que não há motivos reais para decidir logo. As pessoas já estão magoadas, o que está feito não vai mudar. Mas eu não sou uma pessoa ruim, disso eu tenho certeza. Um ato destrói tudo o que você construiu? Não sobra nada?
E aqui fico eu, ouvindo uma sucessão de picuinhas, que fulano disse isso, beltrano, aquilo. E sabe o que mais? A maioria das pessoas nem me importa de verdade, quero mais é que se explodam. Agora, de quem importa mesmo, não tenho respostas. Tentei encontrar coragem para uma conversa, não deu, percebi que para a pessoa os esclarecimentos não significariam o mesmo que para mim, acho mesmo que não tem mais como resolver. Se as coisas não andavam bem, desandaram de vez. Tô triste, tô confusa, tô indecisa.
Pelo menos tenho o carinho, o amor e a amizade das pessoas mais essenciais. Enquanto o tempo não passa e as coisas não se resolvem, vou tentando decifrar o que existe em mim, ao mesmo tempo em que fico com a sensação que algumas coisas não deveriam ser escritas, pois o que você diz pode e deverá ser usado contra você no tribunal.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

.tipo exportação.


Eu já havia comentado por aqui que morria de vontade de fazer uma tatuagem, o que me faltava era a coragem, porque eu sabia exatamente o que e onde queria. É claro que teve uma forcinha da Lay, minha prima, amiga e companheira de sempre, que me indicou o profissional e me levou até ele para que eu criasse coragem. Tá, admito que fiz um escândalo, minha pressão caiu, suei em bicas, doeu horrores. No final, fiquei super feliz com o resultado, ficou exatamente como eu queria, mas acho difícil que me dê vontade e coragem de fazer outra, essa tá de bom tamanho, rs.

O Léo é um super profissional, aguentou meus gritos (!), pedidos para parar e ainda fazia piada, isso sem contarque o traço dele é perfeito, a higiene do estúdio excelente e a simpatia dele um caso à parte.

Bom, e a minha cara de MEDO nessa foto é a melhor, hahaha.



Beijos, beijos!

* Detalhe: a linha abaixo da frase é só carbono, viu, gente?