quinta-feira, 16 de setembro de 2010

.one day.


"Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros e que, para a maioria, é so um dia mais."

(José Saramago)
A Lu me disse isso no dia do casamento da Martha e não consigo mais tirar da cabeça. Ela falava de como aquele dia seria especial na vida dela, de como ela deveria estar ansiosa e tudo mais. Como um único dia pode ser tão normal para uns e tão especial ou feliz para outros? Ou, sei lá, tão desastroso, tão triste, enfim, de toda forma decisivo na vida de uma pessoa e não fazer a menor diferença na vida da outra? Ser só mais um dia de preguiça, de tédio, em que nada de interessante aconteceu?
Não consigo parar de pensar nisso. Fico lembrando dos dias importantes da minha vida, dos dias em que fui tão feliz, como quando ganhei meus primeiros patins, ou quando passei no vestibular ou me formei em Secretariado Executivo. Ou tristes como quando meu tio e minhas avós morreram e quando papai e mamãe foram embora de Parnaíba da primeira vez, depois de me instalarem aqui e eu me senti tão sozinha e desamparada, numa cidade estranha. São tantas lembranças. A nossa vida é cheia de intrincadas possibilidades, os dias que fazem a diferença são os pequenos elos que nos ligam ao nosso futuro, ou como alguns acreditam, ao nosso destino.
A gente deveria saber quando esses momentos estão acontecendo. Seria tão mais fácil. Mas quem disse que viver é fácil, não é mesmo? Eu tenho um momento em que mudaria tudo, em que teria feito diferente, mas não posso voltar atrás, tenho que correr atrás do prejuízo, resolver o que restou disso, sofrer as consequências. Sem o apoio de algumas pessoas eu sei que não conseguiria. Vocês não tem nenhum momento assim? Decisivos, tristes, inesperados?
Alguém disse uma vez (mas não lembro mais de quem é esse pensamento) que o que importa mesmo são as coisas que acontecem com a gente. Por mais que fiquemos tristes com os fatores externos, as coisas capazes de nos abalar de verdade são aquelas que nos atingem diretamente. E o pior - melhor? - é que é verdade.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Formatura de Enfermagem [Natália]

Também estava devendo fotos da formatura da Natália, que demorou horrores para me mandar algumas, mas até que enfim deu certo, então, vou colocar aqui para vocês verem. Todo mundo diz que eu adoro uma formatura e é verdade, viu? Mas ó, não tenho culpa também se meus amigos estão todos se formando, rs.
Natália não fez baile com todo mundo, mas uma festa muito linda no Maison Bernadete Neiva, com muita comida gostosa (a sobremesa então, nem se fala!) e a banda Doctor Bean animando a galera. Saí de Parnaíba meio dia e cheguei na casa de mamys correndo pra me arrumar, pegar a Lay () em casa e correr pro auditório chiquérrimo da Novafapi pra prestigiar minha amiga (olááá, enfermeira!). Depois da colação de grau fomos direto pro buffet, bebi altos driques, ponche e tudo mais, porque tinha um coqueteleiro ao vivo por lá, que se eu não me engano até estava paquerando comigo, rs. Mas, não rolou nada, sorry.
Natália é uma amiga muito querida para mim. Não apenas porque ela é toda sorrisos e resenhas, mas também por saber ser doce, engraçada, inteligente, amiga e estar sempre por perto, mesmo que à distância. Nossa amizade é fácil, natural como respirar. A gente se respeita e se gosta e quer estar perto uma da outra. Estar ao lado dela é garantia de uma balada daquelas, mesmo que a noite seja fraca. Ela tem um espírito livre e aventureiro e como eu gosto dela, da companhia dela e de ser amiga dela.

Naty and me
Minha companheira de todas as horas: Lay
Lay é minha prima, companheira de baladas, ombro-amigo, amante, rs. Com ela divido momentos de infância, família e minha paixão por livros e filmes (vocês diriam obsessão, mas nós achamos muito saudável! :D). Além de tudo, ela me incentiva a fazer tatuagens há muito desejadas, cuida de mim nas festas, afasta os pretendentes malas quando estou sendo muito simpática, sem entender que eles estão me paquerando e até me conta o que aprontei - e não lembro - por conta do excesso de álcool. Isso que é amizade, Brasil!

Sorriso com irax (aparelho) - bleeeh!Morangorosca
Lay
tcha-tcha-tcha Tattoo
Ah, minha tatuagem também fez sucesso, junto com meu peep toe lindo da Vizzano, presente de aniversário da Carol e do Jáder, que eu amei. Mas não foi só isso que fez sucesso, na verdade eu poderia estar vestida de verde-limão berrante que teria dado no mesmo, afinal passei certos constrangimentos com olhares atravessados de amigas da ex do ex. Gente, uma coisa tããão last season, sabe? Lay ri horrores disso, porque onde encontro as irmãs dela, amigas dela e todo mundo que anda com ela nos lugares (shopping, cinema, festas) fica todo mundo me apontando com cara feia sem fazer a mínima questão de serem discretos. Detalhe que eles terminaram há quase quatro anos, eu nem namoro mais com ele, mas o povo não me esquece. Relevem, gente. Superem. Cresçam. #ficadica
Mas, tipo, voltando ao assunto principal, a festa foi muito boa, não deu pra ficar até o final porque no dia seguinte teria que começar cedo a organizar o Chá de Noiva da Martha, mas ainda tive pique pra aceitar dar uma passadinha no baile do pessoal da turma dela, depois do Chá, quando Naty me ligou convidando. Quer dizer, pique, pique mesmo, não, estávamos as duas estropiadas, mas ainda ficamos até umas três da manhã, quando desistimos e fomos comer um sanduíche no Subway e fofocar.
E ela tá aqui com Cacai (leia-se o pai dela), vieram passar o fds+feriado no litoral e estão hospedados na minha casa, hoje eu tô trabalhando, mas amanhã vamos curtir mais uma praia, hehe.
That's all, folks!
Beijos, beijos!

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

.o casamento da minha melhor amiga.


Eu queria mostrar pra vocês as fotos do Chá de Noiva da #melhoramigadomundotodo, mas até hoje espero que ela me mande as fotos e estou vendo que o casamento dela tá chegando e provavelmente não terei como postá-las, então vou ficando satisfeita com essa foto do ensaio pros banners do buffet. Melhor do que nada, né?
Quem me segue no twitter já cansou de ouvir falar do casamento, do vestido chiquérrimo de madrinha que mandei fazer (dica da 'Amiga Anônima' fofa!) e do quanto eu estou ansiosa e super emocionada com esse casamento. Afinal de contas, são 10 anos de relacionamento que acompanho de perto.
O Chá de Noiva foi excelente. Martha, Lay e eu passamos o dia todo organizando o Salão de Festas, cobrindo-o com tnt preto (pra ninguém de fora ficar bisbilhotando), enfeitando com balões vermelhos em formato de coração, corações de cartolina, pirulitos, velas e tudo o que vocês podem imaginar. Ficou tudo tão fofo! Fizemos a Martha pagar os maiores micos, como dançar num poste de pole dance improvisado, inventar histórias eróticas com os presentes que ela ganhou, responder perguntas indiscretas e até mesmo fazer uma declaração de amor pro Eduardo. Tudo ao som de Benício Bem, que animou a festa com músicas e piadas.
Obviamente, eu a fiz chorar com um texto que escrevi e li na frente de todas as pessoas presentes. Não chorei, mas engasguei diversas vezes:
"A primeira lembrança que eu tenho de Martha é dela sendo a baliza dos desfiles de sete de setembro da escola, quando eu ainda fazia o primário, como era chamado antigamente. Eu já a achava linda naquela época e nós nem éramos amigas. É claro que tudo mudou desde o tempo em que éramos crianças, ela se transformou na mulher forte e cheia de personalidade que é hoje e eu me orgulho muito de carregar o título de sua melhor amiga, de ter vivido tantas coisas ao seu lado e estar aqui hoje comemorando com todas vocês. Quando você conhece uma pessoa há muitos anos, conhece a sua família, esteve ao lado nos momentos de alegria e tristeza ou ajudando quando foi necessário, participando, cria-se um vínculo especial, como de uma família que você escolheu fazer parte. Eu sempre quis ter uma irmã, mas Deus me deu dois irmãos e quando Ele me presenteou com sua amizade, eu a escolhi para minha irmã, no meu coração, e ela tem sido desde então minha amiga-irmã, companheira de vida.
Poucas vezes nos desentendemos e nunca chegamos a discutir. O respeito e a admiração que temos uma pela outra é a chave principal da nossa amizade. Temos personalidades diferentes, costumamos dizer complementares. Ela é séria, reservada, mas quem tem o prazer de desfrutar de sua amizade sabe o que significa ter uma amiga fiel, que vai dizer o que você precisa ouvir e não apenas o que você quer, mas que vai te apoiar em cada burrada que você fizer, vai segurar a sua mão e tentar encontrar uma solução pro que quer que seja. Ela vai estar ao seu lado, te defender, te mostrar que o problema não é tão grande assim e que tudo vai passar.
Eu lembro de tantos momentos ao lado dela, as aulas no ensino médio, os lanches depois da aula, as idas ao Setut, as aulas de educação física que a gente odiava, a prova de física que o professor nos tomou, os muitos amigos que, em sua maioria, entraram e saíram de nossas vidas, a preocupação com o vestibular, as aulas do pré, a aprovação no Cefet e na Uespi, as festas da faculdade, os porres, as ressacas, as ‘primeiras vezes’, os segredos inconfessáveis, as viagens, as nossas formaturas, e até mesmo os momentos de dor. O vital sempre foi a nossa presença uma ao lado da outra.
É claro que eu acompanho a história dela com Eduardo, desde quando ela o conheceu, há mais de dez anos atrás. Estive presente nas festas, ouvi sobre as brigas, as pazes, os problemas, os planos e me sinto mais do que honrada em ser sua madrinha, afinal um casamento pautado no amor, carinho, amizade e companheirismo não tem como não ser abençoado. Ele já provou ser merecedor do amor dela várias vezes, é uma pessoa íntegra, honesta, eu o admiro muito, e se ela escolheu tão bem o seu companheiro para a vida, a nós cabe celebrar e desejar que a vida de casados dos dois seja repleta de harmonia, prosperidade e felicidade.
No mais, meu desejo é que a nossa amizade permaneça, pois sei que eu posso passar por tudo se eu tiver a força e o carinho da sua amizade ao meu lado. Seja feliz, minha amiga, que só por isso, eu já serei mais feliz também. Eu te amo muito e sempre vou amar, você sabe. "
Ler tudo de novo me enche os olhos d'água, pois tenho profunda consciência do quanto sou abençoada por poder contar com uma amizade tão forte e sincera, que atravessa os anos, as dificuldades, a distância, e permanece sempre forte nos nossos corações.
Espero ansiosa, daqui a uma semana estarei entrando na igreja ao lado da minha melhor amiga num dos momentos mais importantes da vida dela. E sim, estou muito feliz de fazer parte desse momento tão especial.
Bom fim de semana!
Beijos, beijos!