quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Formatura - Colação de Grau

Acho que, para quem trabalha com colações de grau, ainda não me deixei envolver pelo lugar-comum, sempre me emociono nessas solenidades. É uma conquista tão bonita, tão cheia de significados e de felicidade extrema, que não dá espaço para nenhuma tristeza. No máximo, uma nostalgia. É um momento em que todo mundo está feliz, te apoiando, comemorando, vibrando. 

Não desapego da minha placa, rá!
O cerimonialista Manoel Veras, além de tudo, um amigo querido
Mais uma conquista!
Meus pais-padrinhos lindos
O mau caráter da minha vida que eu amo tanto! Júnior - adoro tbm! (irmão de Eduardo)
Carolzinha
Layanne e Éryka
Meu afilhado lindo - Heitor
FAPAssinando a ata
Quando o cerimonialista chamou meu nome os pêlinhos da minha nuca se arrepiaram todos, fiquei com aquela sensação de eletricidade por toda a solenidade, foi incrível. Me emocionei muito, principalmente durante o discurso da oradora, minha colega Jéssica, que além das belas palavras, no finalzinho, fez um agradecimento, em nome da turma, à mim, por tudo o que fiz pela organização da nossa formatura. Esse reconhecimento foi muito especial para mim, já que sei que não fui perfeita como membro da comissão, mas dei o melhor de mim e o que quer que não tenha saído perfeito, também não foi algo que fizesse a festa menos bela.

Entrada

Mesa de honra
Oradora - Jéssica
Emocionada!
Juramentista - EdbertoEu juuuuro!
Também me emocionei muito com o discurso da nossa paraninfa fofa, professora Renata Ribeiro Santos de Moraes. Sei que já disse várias vezes o quanto ela foi importante para todos nós, mas não há como falar do curso de Administração da FAP sem ela, que é, antes de tudo, uma amiga sempre pronta pra ajudar. Renata estava sempre preocupada com nossas atividades complementares, criando visitas-técnicas e nos acompanhando, também esteve sempre presente nos períodos mais estressantes dos relatórios de estágio supervisionado I e II e do terrível TCC, apontando melhorias e elogiando nosso desempenho, estando sempre disponível, se preocupando de verdade com a gente. Em razão disso, não teria como ela não ser nossa madrinha no dia em que a soma de todos os seus esforços foram consagrados. De coração, Renatinha, você será sempre lembrada como símbolo de amizade, carinho e competência.

Renatinha - nossa paraninfa
Uhuuu!
O momento mais solene: a outorga do grau pela Diretora Geral (Rosany Corrêa)

Conseguiiii!!! A turma
Saída (o sorriso de papai é o melhor!)

A presença de tantos amigos queridos e da minha família foi fundamental. Sei que muitas outras pessoas gostariam de ter ido, mas a distância ou outros compromissos já assumidos impossibilitaram, mas agradeço todas as mensagens de carinho, força e parabenizações que recebi. Agradecimentos especiais aos presentes: Papai, mamãe, Renato e namorada (Marília), minha comadre e amiga linda Éryka, que trouxe o Heitor para participar da colação de grau da dinda dele, Carol, minha amiga linda sempre presente em todos os momentos, Jaque e Marcelo, o casal fofo que eu amo e torço tanto, as ex-maridinhas Gerusa e Letícia, meus primos queridos que vieram de Pedro II, representando meus padrinhos, Jullierme e Júnior, minha prima-irmã, Layanne, Léozinho, amigo querido demais da UFPI, Mário e Janaína, que mesmo não tendo ficado até o final, deixaram seu abraço e o carinho de sempre, Lya, querida amiga (e prima de coração!), que só conseguiu me encontrar na pizzaria, após o evento e Santiago, o primo da faculdade mais safadeeeeenho de todos. Ter vocês na minha vida faz toda a diferença, não esqueçam jamais.

Marcelo e Jaque
Léo Gerusa e Letícia Santiago Primos: Jullierme e Juvenal Júnior Irmão (como eu amo!)
Tenho que dizer que meu vestido da colação fez o maior sucesso. Foi alvo dos olhares mais ávidos, mas não pela sua discrição e sutileza, obviamente. Mas sabem do que mais? Eu adorei! Como bem diz a Dani: sou muito linda - e modesta. . Só que o que ninguém pode me acusar é de haver dito de qualquer forma que sou uma pessoa discreta, enfim. E, ainda em casa, papai me olhou de ladinho e perguntou: 'Filha, e pode ir vestida de piriguete?'. Hahahahaha! Papai, amor verdadeiro, amor eterno. Own. Meu look zebrinha foi o bapho da colação de grau e eu ameeeeei!

 

 
Papai e mamãe mimando o Heitor
 
Amo mesmo!
Eu e eu mesma daqui a alguns anos (mamãe)
Depois da colação de grau aproveitamos para falar mal do povo fofocar sobre os melhores momentos acompanhados de pizzas, filé com fritas e bebidas na Bell'Itália, afinal estava todo mundo azul de fome. E o final da noite ainda reservou encontro com a #melhoramigadomundotodo,  Martha, que chegou de viagem depois da meia-noite, muito triste por não ter podido chegar a tempo para a colação, mas trazendo na bagagem Eduardo, o marido super querido dela, Tia Teresa e Luíza, mãe e irmã dela, tão queridas por mim e minha amiga-de-infância-fotógrafa-talentosa, Dayne Dantas. O que faltava para tornar tudo ainda mais especial.

Beijo, beijo!

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Formatura - Culto Ecumênico

Na sequência dos eventos da formatura teve o Culto Ecumênico que foi liiiindo demais. Eu nem esperava tanto, achava que só ia ter graça se fosse uma missa, mas me surpreendi de verdade. Pela mistura, pela beleza, pelo respeito, pela sinceridade dos agradecimentos a Deus, pelas palavras do Pastor, pelas palavras do Teólogo, e, é claro, pelo meu discurso lindo no final.

O culto foi no Auditório da Associação Comercial de Parnaíba, um lugar neutro e que eu, particularmente, acho muito bonito pelo ambiente rústico e ainda assim requintado. Meu padrinho foi o meu maninho caçula lindo e fofo, Renato, que tava chique demais (e todo importante) no seu terno novo. Não tem nem o que dizer da minha escolha, né, gente? Meu amor pelos meus irmãos não tem explicação, é incondicional. E eles sempre foram meus amigos, meus cúmplices, parceiros de muitas e muitas artes. Queria mesmo que Ítallo tivesse podido vir também, para eu entrar com meus dois irmãos lindos, mas além do trabalho o impedir, problemas de saúde da noiva dele também inviabilizaram sua vinda. Uma pena, claro que eu senti muito a sua ausência, mas imprevistos acontecem.

Beijinho
Turma
Sorrisão
Uma das coisas que mais me surpreenderam foi uma colega de sala que cantou, encantou e arrasou. Quatro anos estudando com a pessoa e eu jamais suspeitaria desse talento. Não vou dizer que éramos as melhores amigas, porque tava bem longe de ser, na verdade, ela até me pentelhou horrores (leia-se: eu era a comissão, então muitas pessoas me pentelharam, mas ela ganhou até uma medalhinha de honra), só que não posso deixar de dizer que até me emocionei com o hino que ela cantou. E ó: vozeirão. Não é pra comparar com o Eduardo, claaaaro, porque esse aí vai fazer sucesso logo logo com a música (guardem minhas palavras proféticas!), Eduardo é profissional, masa Geângela arrebentou. E eu paguei pau, é isso.


Geângela
Não dá pra disfarçar o sorriso
Renato
Gêmula de Renato


Gente, fiquei besta como tô a cara do meu irmão nessa foto. Sério, passei uns bons 10 minutos me encarando e notando os traços do rosto dele em mim, rindo feito boba. Sangue é coisa muito forte. Algumas pessoas já tinham dito que me achavam parecida com Renato, mas eu jamais havia me deparado com um prova igual a essa. O formato da boca, o meio sorriso, as bochechas e até o nariz estão parecidos. Toda derretida pelo meu maninho. 

Falando no discurso, tenho que dizer que foi lindo. Não apenas porque eu escrevi (modéstia à parte!), mas porque acho que falei das coisas que realmente importam, agradeci a Deus, aos pais, aos mestres, aos amigos. Desejei sucesso, felicidade e que as pessoas saibam aproveitar o que realmente toca os seus corações, que sejam pessoas melhores, pessoas pra fazer a diferença. Sei que a Renatinha não parava de chorar um minuto e assim que eu acabei o discurso entreguei um buquê de rosas amarelas à ela, em nome da turma, demonstrando todo o nosso carinho para com nossa anjinha da guarda e paraninfa mais fofa de todos os tempos. Sem ela ao nosso lado, teria sido quase impossível concluir esse curso. Todo nosso carinho, amor e agradecimento à Renata Ribeiro Santos de Moraes, mestre e amiga, acima de tudo. 

Oradora
O final do culto foi emocionante, ao som de Lulu Santos - Tempos Modernos. Clichê de formatura, eu sei. Mas, gente, a mensagem da música é simplesmente de arrepiar, ainda mais em momentos como esse, em que todo mundo tá sensível demais às palavras e seus significados.

Só eu agitando lá atrás

Saída dos formandos e padrinhos

Naiara, Eduardo, Mayra e eu
Aline, eu, Carol e Gg
Mamys
Estilo
Maninho lindo e eu
Renatinha
Aline e Cézar
Lety
Raphael


Agradeço de coração a todos que compareceram, a presença de amigos e familiares queridos é sempre um presente. Amo vocês! 


Beijo, beijo! 

Update 24.02.11 


A Bel pediu nos comentários para que eu postasse o discurso, mas não postei porque são duas páginas e meia de texto e achei que ficaria bem extenso aqui no blog, mas se mais alguém estiver interessado, avisa aí que eu posto mesmo assim. 


Beijo, beijo, de novo!