quarta-feira, 30 de março de 2011

.mais do mesmo.

Já contei para vocês que minha cirurgia (buco-maxilo, até que enfim!) foi marcada pro dia 13.04? Vou para Teresina, ficar de molho por pelo menos uns 15 dias, mas tô confiante que vai dar tudo certo (torçam por mim vocês também!). Parece que eu ando sumida, mas nem é, é só falta de assunto mesmo. Nada acontecendo. Trabalhando, mas daquele jeito, nada demais. Me sentindo ociosa mesmo estando 40h/semana no ar.

Enfim, meus dias estão parecendo uma sucessão da mesma coisa eterna. Sei que já disse isso antes, mas não há mesmo outra coisa pra dizer. Só lendo muito, assistindo filmes, me alimentando mal, dormindo pouco. Um professor aqui do meu trabalho me disse hoje que eu estou mais bonita, que tô com cara de quem arranjou namorado novo, mas nem velho, gente. A coisa tá nível hard, rs.

Se há uma luz no fim do túnel é o show da Validuaté no sábado que eu já combinei com o @ithalofurtado de ir, já que o @raseduardo tá lá na Bélgica, só conhecendo um monte de gente nova e deixando de me amar #drama. Vamos tomar todas e cantar a Bruta como se não houvesse amanhã. Só prometo sair sem voz de lá. E talvez um pouco bêbada. 

Depois eu conto.

Beijo, beijo!

sexta-feira, 25 de março de 2011

Casamento Denille & Lênio


Sei que já era pra eu ter postado sobre isso há séculos, mas minha câmera está quebrada (também há um tempão), então fico dependendo das fotos das câmeras de outras pessoas, mas mesmo com atraso, não posso deixar de falar sobre o casamento de uma amiga queridíssima como a Den. Nos formamos juntas em 2006, mas nunca deixamos de manter contato, a amizade, o carinho e a consideração são os mesmos. 

O casamento foi muito íntimo, cerimônia para poucos convidados na Capela do 25º BC, os mais vips dos vips, mas uma cerimônia linda e emocionante. Isso sem falar na recepção, no Concorde Buffet, uma delícia. Além do que, reencontro com as amigas secretárias executivas é sempre um evento maravilhoso, parece que não deixamos de nos ver nem um dia sequer, é tanto assunto e tanto carinho uma pela outra que a gente sempre quer marcar mais e mais vezes, mas a distância não ajuda. Mesmo que a maioria trabalhe na Ufpi (Larissa - PRPPG, Denille - Conselhos Superiores e Paula - CSHNB), é praticamente cada uma numa cidade diferente. Agora, então, que a Den vai pedir redistribuição para Brasília, por causa da transferência do Lênio (ele é militar, da AMAN) e com a Wládia trabalhando no IFPI, de Picos e a Líllian, na UFMA, em São Luís, vai ficar cada dia mais complicado juntar as amigas.

Ah, outra coisa: Wládia, Paulinha, uma prima da Den e eu fomos as damas de honra do casório, já que a noiva não quis daminhas e pajens, a gente fez as honras. E, sério, ficou lindo demais, todas nós de cor-de-rosa, own. Só não deu pra ser o mesmo vestido e tom de rosa, porque, né? Já falei que cada uma mora em cidades diferentes? rs. Pois é.

Entrada das damas de honra
Eu, Wládia, Paulinha e Larissa antes da cerimônia
 Damas de honra
 Paulinha
 O reencontro

O que também faz com que a gente seja sempre unida é que os namorados, na verdade, agora mais maridos mesmo, também entram na equação. Lênio namora Den desde os tempos da faculdade, a gente sempre fazia festas juntos, íamos pro sítio dele, saíamos, nos demos sempre muito bem. Júnior também está com a Paula  há bastante tempo, desde antes da faculdade, eles foram os que casaram primeiro, em 2007 e já tem um filhinho lindo, o Arthur. Júnior é tão fofo, antigamente costumavam nos perguntar se éramos irmãos (algumas poucas semelhanças) e a gente sempre respondia que sim e até hoje nos chamamos de 'maninhos', rs. Inclusive, ele conhece meu pai e os dois se dão super bem. Gil, marido da Larrisa (casaram em outubro passado e eu, infelizmente, não pude ir) é o que eu menos conheço, pois eles começaram a namorar pouco antes da época do casamento da Paula, mas não tenho nada o que dizer dele, super simpático e gente boa. 

O noivo com sua farda de gala
Júnior e Lênio
Den e eu
A noiva e o buquê
  

A graça da noite foi a gente querendo saber tudo sobre o novo namorado da Wládia e os rapazes já combinando um churrasco para saber se aprovariam o rapaz. Churrasco até que não teve, só uma reunião de fim de ano, com direito a prendas culinárias das amigas, cervejinha gelada, amigo secreto e tudo mais, mas a Wládia fugiu da prova de fogo, já que teve que viajar de última hora. Mesmo assim foi ótimo, nos divertimos muito.

O meu carinho por elas é enorme, não precisamos estar sempre juntas para eu manter uma parte do meu coração reservada com os seus nomes. Sei que é difícil ter o contato que tínhamos, agora principalmente, quase todas casadas, as que não tem filhos em breve devem encomendar seus pimpolhos, morando em cidades diferentes, mas sei que o coração não entende nada de geografia e que o que vivemos juntas sempre fará parte de um capítulo mais que especial na nossa história. E, claro, sempre haverão os encontros para matar a saudade, esses tão especiais que nos deixam marcas indeléveis. 

Meninas, amo vocês demais, demais!

Beijo, beijo!

Post relacionado

sexta-feira, 18 de março de 2011

O maior amor do mundo da última semana



"Por isso eu acho que a gente se engana, às vezes. Aparece uma pessoa qualquer e então tu vai e inventa uma coisa que na realidade não é". (Caio F.) 


O coração é terra que ninguém anda, todo mundo sabe. E é impossível começar uma história sem a bagagem adquirida de perdas, mágoas e frustrações. Não que ninguém amadureça com o que passou, óbvio que ficam as lições. Mas com o tempo o que vai ficando mesmo é o medo de arriscar, de acreditar, de investir. Ou então, o desespero para fazer dar certo, tão certo, tão rápido e instantaneamente que só faz, inevitavelmente, tudo dar errado. O que será que cria tudo isso? A facilidade dos amores descartáveis? O orgulho de parecer bem e feliz nas redes sociais acima dos próprios sentimentos? Porque, ao que parece, mais importante do que estar feliz de verdade é estar feliz no orkut, facebook e afins.

Complicado saber o que cada um guarda dentro de si, só que parece que com a modernização da tecnologia,  os relacionamentos estão mais baseados nas aparências do que nunca. E as pessoas mais e mais aflitas para serem perfeitas em relacionamentos perfeitos, repletos de perfis em redes sociais tão românticos quanto efêmeros. Não sou contra o amor, muito pelo contrário, mas sou a favor do amor verdadeiro, que supera as dificuldades, que é independente, que apóia, que acompanha, que faz a diferença.

Sei que pode parecer utópico e idealista demais, mas não me serve qualquer amor embrulhado pra viagem, tipo fast-food. O amor tem que ser intenso, claro, mas também tem que ser um porto seguro. Acho que já passei da fase do amor louco, tenho bagagem demais em mim para acreditar que o amor vai me devorar inteira, me partir ao meio, me cegar. Não que eu não queira amar muito, demais, me entregar,  viver plenamente o que a vida me oferecer, mas estou mais à procura de um amor tranquilo, palpável e nem por isso menos bonito ou real. Meu coração não se contenta com pouco, ele quer tudo. Não tenho pressa, tenho preferências e prioridades.

Soundtrack: Todo amor que houver nessa vida - Cazuza

(Só para esclarecer aos desavisados: o marcador 'crônicas' quer dizer que os textos são fictícios e não correspondem à minha vida pessoal) 

segunda-feira, 14 de março de 2011

.não cabe mais em mim.

 

O que a gente faz quando se sente só, sendo preterida por quase todas as pessoas que ama, inclusive a sua própria família? Não se sentindo mais tão bem onde mora, não vendo mais graça em tudo o que lhe é habitual? Achando que os amigos de sempre talvez não estejam tão presentes quanto você achava que estariam? Olhando para todos os lados e vendo que está tudo ruindo, sendo que você tem que aparentar calma e serenidade? Mesmo se sentindo tão terrivelmente só, a vilã do final da novela? 

Eu sei que parece dramático, mas é exatamente como me sinto. Cheia de sentimentos intensos e conflituosos, que me invadem, que me fazem ficar cada dia mais reclusa, pensativa e me afastar ainda mais das pessoas. Preciso cuidar mais de mim, eu sei disso. Tão claramente que é como se estivesse escrito nas estrelas. Tenho projetos, claro, mas principalmente sei que preciso investir tudo em mim. Estudar mais, fazer exercícios, emagrecer, deixar de me preocupar com as pessoas que não querem minha preocupação, continuar lendo meus livros e assistindo meus filmes, porque me faz bem, cultivar as amizades sinceras e seguir em frente, sempre acreditando que vai melhorar. Mas olha, é mais fácil na teoria. Muito mais. 

Quando a gente se sente assim, parece que o amanhã nunca chega, que tudo tá uma merda e que nossos problemas são piores do que os de todas as outras pessoas no mundo. O que, é claro, não é verdade, a tragédia no Japão tá aí para comprovar isso. Mas, por mais solidariedade que eu possa ter com os milhares de mortos, desaparecidos, desabrigados e tudo mais, não consigo me comover mais do que com meus próprios problemas. O ser humano é tão egoísta, não é verdade?

Só espero que o tempo passe logo, que meus objetivos cheguem cada dia mais próximo e que eu possa deixar tudo isso pra trás. Sei que o tempo é o senhor de tudo e mostra quem está certo, traz amadurecimento e uma nova perspectiva sobre tudo. E é claro que, quando passa é tão mais fácil ter essa percepção, sabendo os erros e acertos, as decisões e atitudes que foram essenciais. Mas enquanto não, eu desabafo. Não resolve nada, mas alivia um monte.

E meu sorriso sem graça
Não me dê atenção
Mas obrigado
Por pensar em mim...

(A via láctea - Legião Urbana)

sexta-feira, 11 de março de 2011

.irmão preto.


Vai, amigo, se você precisa mesmo ir, eu ficarei aqui torcendo por você, pelo seu sucesso e pela sua felicidade. Jamais esquecerei a amizade que tantas vezes foi meu porto seguro. Amo você, nada paga isso, quero ficar velhinha e ser sua amiga, sempre. Contando casos, falando besteira, tomando umas cervejas. A gente não presta, mas a gente se ama e se entende só com um olhar.

sexta-feira, 4 de março de 2011

♪ Na quebrada da maré ♪


Só para dar o gostinho do ensaio que fiz com a minha queridona, Dayne Dantas, na lindíssima Praia da Pedra do Sal, aqui em Parnaíba, para vocês verem que eu não tô exagerando quando digo que essa moça vai muito longe. Talento ela tem de sobra!
 








E quem quiser ver mais do ensaio, é só clicar aqui.

Beijo, beijo!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Formatura - Baile

 
Eu sei que vocês já devem estar de saco cheio dos posts daqui serem só de formatura, maaas prometo que este é o último (ou quase, rs). Enfim, o Baile de Formatura com temática de Baile de Máscaras. É claro que deu muito trabalho, não por causa do organizador da festa, mas pelo dono do Delta Park Hotel, que me fez raiva até o fim, com sua implicância e 'esperteza', se é que me entendem. Enfim, todo evento tem sempre algum imprevisto que a gente tem que relevar pro bem do todo, né? 

Sei que há muitas pessoas que tenho que agradecer e espero não esquecer ninguém, mas saibam que, desde já, agradeço a todo mundo que foi, ligou, mandou sms, carinho e energias positivas, mesmo de longe.

Tenho que dizer: apesar dos reveses, foi muito lindo. A decoração estava um arraso: obra de Sérgio Sousa, um queridíssimo que não poupou esforços e bom humor para fazer do evento um sucesso, nunca quis saber dos problemas, já estava resolvendo. Não tem como não agradecê-lo (e à sua equipe) imensamente por toda a sua boa vontade, gente, um fofo!

Entrada da festa
 
Sérgio Sousa

A correria no sábado (29.01) foi grande, acordamos muito cedo e fomos para a Praia da Pedra do Sal, fazer um ensaio leeeendo de morrer, com a minha amiga-de-infância-e-fotógrafa-talentosa Dayne Dantas, que fez um trabalho incrível, mesmo estando tão cansada. Apesar do calor, da falta de sono, da correria, as fotos ficaram maravilhosas. Sério, gente, essa moça tem muito talento e vai se destacar com certeza, porque ela tem um feeling que dispensa comentários. Não tem como não ficar feliz em ter ao lado, num momento tão especial, alguém que me conhece (e à minha família) há tantos anos, desde antes do tempo que a gente gostava das Chiquititas, rs.

Dayne e eu

Meu pai-padrinho estava lindo todo de terno, muito anfitrião, querendo ajudar em tudo. Passou quase o tempo todo supervisionando, que eu sei. No restante, ficou batendo papo com o marido da Martha, Eduardo, que ele adora. Já mamãe estava toda serelepe, muito bonita e faceira no seu vestido vermelho. Ela aproveitou a festa meeeesmo, bebeu, dançou, conversou com todo mundo. Só vendo a animação que ela tava, toda orgulhosa. Além, é claro, do meu irmão lindo, Renato, todo engravatado, dançando comigo e sendo o fofo de sempre. Amo taaaanto! *.*

Amor maior do mundo
 
  Amor maior que eu
 
Marília e Renato

Tenho que falar da minha amiga formanda, que resistiu comigo bravamente, mesmo com todas as desistências de última hora. Uma pessoa que se tornou muito próxima nos últimos - e difíceis - tempos, alguém que eu admiro pela força de vontade, garra e pela família linda que ela tem. Sem ela, a festa não teria tido o mesmo brilho. Obrigada, Lu, por tudo!

As formandas: Lucilene e eu

Eduardo e seu irmão, Júnior, começaram a festa ao som de mpb da melhor qualidade. Logo após as apresentações, seguiu-se show da Banda Retrovisor, que também arrasou, tocou de tudo e colocou a galera pra dançar.

Já rasguei seda para Eduardo por aqui váááárias vezes, mas tenho que dizer que Juíca também é um talento com sua voz doce e melodiosa, além do jeito tímido (só para quem não o conhece bem, rs). Papai simplesmente adorou e olha que meu pai não é de se impressionar fácil. Pena que não pode usar o talento para acordar as gatinhas em voz e violão, já que vai ser padre (no momento, está estudando num seminário na Itália). Pasmem, o mau-caráter-olho-junto de carteirinha, Eduardo, tem um irmão que é um homem de Deus. E eu amo os dois de coração.
 
Eduardo e Júnior

A #melhoramigadomundotodo, Martha, veio com a família em peso. Ela, o maridão Eduardo, tia Teresa e Luíza, mãe e irmã dela, respectivamente. Sabia que Martha e Eduardo viriam, mas não estava esperando que as outras duas viessem, então, é claro que fiquei mais do que feliz,  emocionada mesmo, pois devido aos muitos anos de amizade, carinho e às tantas vezes que me acolheram, as considero como parte da família também. Agradeço muito a consideração, essa família sempre vai contar com o meu amor incondicional.

 Martha
Tia Teresa e Luíza
'Amigos são a família que nos permitiram escolher'

Minha prima-irmã, Layanne, como sempre foi essencial. Foi minha hostess, recepcionando os convidados e os enchendo de penduricalhos: pulseiras de identificação, máscaras, marabus e um sorriso de boas-vindas típico. Minhas lembranças mais antigas de criança todas tem essa moça, das brincadeiras de marré-marré à massinha de modelar, passando pelas férias e traquinações que fazíamos na chácara em que ela morava. Passamos algum tempo distantes na adolescência, por conta de pessoas e fatos alheios a nós, mas ainda bem que essa época  já passou (e as pessoas e os fatos tambem!).

Minha hostess favorita - Lay

Outra amiga linda que marcou presença, foi minha mais nova comadre (forever #metadeloira), Éryka. Além do meu afilhado lindo, Heitor, bem guardadinho na barriga dela. Muito feliz porque ela é uma pessoa muito importante para mim e não havia tido ainda uma aproximação mais forte entre ela e minha família. Além do mais, o Heitor deixou todo mundo apaixonado. E isso sem contar que resolveu um velho conflito entre ela e Martha, gerado por ciúmes, já que, convenhamos, Éryka é muito encrenqueira ciumenta e Martha mata um na unha. Só tenho amigas ciumentas, rs. Mas o bom  foi que tudo se resolveu e sei que, pelo menos agora, não tem perigo delas se pegarem em alguma outra circunstância. :D

Lay, Éryka (Heitor!) e eu
  
Quem diria, hein?
  
Amo taaaaaaaaaanto!

Os queridos amigos da UFPI também marcaram presença, as pessoas que  estão comigo no meu cotidiano, que me acolheram de coração aberto e que eu amo muito, por tornarem minha vida mais alegre e bonita. Não tem foto com todo mundo porque algumas pessoas foram embora mais cedo e outras passaram despercebido pela quantidade de gente que tinha na festa (lá pelas tantas - e mil clicks depois - fica difícil lembrar com quem você não tirou foto ainda, rs), mas muito obrigada pela presença: Jorgete e Jeferson, Mau-Mau (que veio láááá de Teresina!), Jáder, Julimar e Karina, Aline e Cézar, Laíza e Willames, Mário e Janaína, Felipe e Fernanda, Léo e Cláudia, Danniel e Rafaela e Michelângelo. A presença de vocês foi um presente para mim!

Aline e Cézar
Willames e Laíza
Mário e Janaína
  
Léo e Cláudia
Michelângelo e Danniel
  
 Maurílio
  
Jáder
  

Outro amigo querido que também compareceu foi o Francisco (e namorada), apesar de ir embora cedinho, antes mesmo da apresentação, deixou um beijo e o seu carinho para mim. Ele é uma pessoa que me ajudou demais nos primeiros tempos na cidade, me levava e buscava de todos os cantos, a qualquer hora, eu só confiava nele e nossa amizade prosperou. Eu o tenho em alta conta e o quero bem como a um irmão. O mais delicado de tudo foi que um semana depois da festa, ele apareceu na minha casa com uma rosa e um coraçãozinho de pelúcia 'Eu te adoro' de pregar em vidro, se desculpando pela presença tão rápida na festa. Fofo, né?

Francisco e namorada

Nossa apresentação foi liiiinda! Em clima de Baile de Máscaras e repleto do carinho das pessoas mais amadas por nós. Músicas, clipes e nós, dançando e agitando ao som das músicas escolhidas, é claro. Depois, a valsa com os padrinhos e amigos, o brinde, a chuva de prata, as emoções extravasadas. 

Mascaradas
♪ Pretty woman, walkin' down the street ♪
♪ Você não sabe o quanto eu caminhei pra chegar até aqui, percorri milhas e milhas antes de dormir, eu não cochilei ♪
♪ I gotta feelin' that tonight's gonna be a good night ♪
A valsa
 Essa foto tinha que ficar registrada meeeesmo!
  
O brinde
Papai e eu muuuuito felizes!
Loooooosho by Dayne Dantas

Mais amigos queridos que compareceram: Daniel, um queridíssimo que também conheci nos primeiros tempos em Parnaíba, alguém por quem tenho profunda amizade, carinho e consideração. Zé Lucas, que tá sempre por perto com seu carinho. O 'primo' da faculdade, Santiago, com seu sorriso travesso de menino danado e suas ideias empreendedoras de administrador moderno, amo muito! E a também querida, Vanessinha, com sua amizade e carinho de sempre.

Daniel
 Zé Lucas
  
Santiago
Vanessa

Outras que não poderiam faltar, minhas ex-maridinhas: Gg e Lety, por quem tenho muito consideração e amizade. Sei que não moramos mais juntas, mas sempre lembraremos com carinho de todas as coisas maravilhosas que vivemos juntas, além das dificuldades que nos apoiamos e enfrentamos uma ao lado da outra. Também não posso esquecer do que veio no pacote da amizade das maridas: Andréa e minha prima de coração tão amada, Mayara. Amo demais essas moças!

 Gg, Letícia, eu, Mayara e Andréa

Representando minha família paterna e meus padrinhos, os primos queridos Jullierme e Juvenal Júnior, trouxeram todo o carinho dos meus padrinhos e a irreverência que só eles trazem para uma festa. Isso sem falar que o 'primo Juju' (que só quer seu eu!), com suas relações no mundo da mídia, anunciou minha festa no Portal do 180º. Sou chiiiiique, tá, meu bem? E isso, é claro, só prova minha teoria de que ele não é phyno, mas bem relacionado, né, Lya? Kkkkkk! Outra que também veio de Pedro II para abrilhantar minha festa, a amiga de seeeeempre, Lya Raquel, que eu amo demais, demais!

Júnior e Jullierme
 Lay, mamys, Lya, eu e Juju
  
Eduardo
Todo mundo querendo agarrar o Heitor

Não posso deixar de falar das minhas amigas mais que especiais: Carol e Jaque. Com elas eu ri, chorei, brinquei, desabafei, contei nos momentos difíceis e muito mais. Jaque, meu pedacinho de chocolate branco, a risada mais escandalosa, a palavra amiga que me acolhe sempre. E Carol, que apesar de tão diferente de mim, me completa, me entende, me apóia de todas as formas. É uma pessoa que eu sei que vai estar lá do meu lado se eu precisar. Amo e amo demais!

Jaque, Gg, eu e Carol
Caaaaalma! Tem eu pra todo mundo!
 Caras-limpas que eu amo! Lay e Eduardo

Mas a parte mais emocionante de todas sem dúvida foram os discursos que o povo inventou de fazer que me mataram de chorar. O de papai, principalmente, porque não é do feitio dele falar em público, demonstrando tantas emoções, esses momentos são mais raros e por isso mesmo, me emocionei demais. Me emocionei com mamãe também, mas ela é palestrante, dinâmica, então, foi uma emoção mais divertida. E o mais engraçado de todos, o de Layanne, falando das nossas travessuras de criança, nossas vidas sempre unidas e nossa amizade desde sempre.

Papai
Chorando horrores
Mamãe
Nem sabia se ria ou chorava!
Layanne e Martha (que não conseguiu falar, só chorava e ria, tudo ao mesmo tempo)
Amo!
Obrigada a todos, de coração!
Lembrancinhas da festa

É isso! A todos que contribuíram para esse dia tão especial para mim, os meus sinceros agradecimentos. Vocês estão no meu coração e eu amo vocês demais. A festa foi linda e inesquecível, ficará sempre marcada como um dos momentos mais especiais da minha vida.


Beijos, beijos!