segunda-feira, 7 de novembro de 2011

2011 foi um ano ruim

♪ Por Deus nunca me vi tão só
É a própria fé o que destrói
Estes são dias desleais ♪

(Metal contra as nuvens - Legião Urbana)

Tenho andado muito triste, sem vontade de escrever, sem inspiração. Para quem não sabe, meu avô faleceu na semana passada e apesar de ser um fato que alguém com 90 anos não tenha uma expectativa de vida muito alta, ainda assim é um choque, uma dor sem tamanho, mesmo que tenhamos que nos conformar com ela. O pior de tudo, nem é o dia do velório, enterro e tudo mais, mas a ausência que fica depois, o querer estar perto sem poder, o cheiro da pessoa amada que não mais podemos sentir. E para completar a minha tristeza, no mesmo dia que vovô foi enterrado, recebi a notícia do falecimento de outro ente querido, o marido da minha prima, Igor, que estava na UTI há quase 1 mês, infelizmente, desenganado pelos médicos, com septicemia. A morte de um rapaz de 25 anos, saudável, sem vícios, com a vida toda pela frente é uma dor bem diferente. É incompreensível. Só Deus para saber dos seus desígneos. Foi um baque, durante uns dias fiquei me sentindo anestesiada, impotente, sem forças.

Acho que por mais que a gente tente, nunca se acostuma com a perda de alguém querido. É claro que o tempo ameniza, porque senão não conseguiríamos prosseguir com a nossa vida, mas no fundo fica sempre um vazio. Já ouvi várias pessoas dizendo que temos que nos preparar para a morte, outras que devemos nos preocupar com a vida e já nem sei mais no que eu acredito, só sei que não me sinto preparada para perder mais ninguém. Por favor, Deus, alivia aí pra mim?

Não digo que este ano tenha sido ruim apenas por isso, aliás, nem digo que apenas 2011 foi ruim, 2010 também não foi esse mar de rosas, não. Ano passado aconteceu uma das maiores tragédias pessoais da minha vida, um fato que de tão íntimo, é também impublicável. E esse ano? Foram tantas coisas que eu já nem sei enumerar. Deve existir uma cota de merda que pode acontecer na vida da gente, porque, olha, eu bem que tô merecendo uns dias de alegria.

Sabe? Não é que eu não esteja tentando. Eu estou. Não é que eu não esteja procurando as melhores opções. Só que, às vezes, todas as opções são ruins. Não sei mais se tenho fé, me sinto descrente demais e acho que não consigo mais ver nada com desprendimento, sem julgar e condenar. É difícil ser uma pessoa otimista nos dias de hoje.

Desse ano eu não espero mais nada. Só que ele acabe.

14 comentários:

Júuh . disse...

Perder quem a gente ama é uma das piores coisas. eu bem sei disso. a gente se sente sem chão, sem rumo.. o vazio e a saudade tomam conta sem dó e a gente tem que por vezes fingir ser forte.
Sei que os dias não têm sido nada bons Ju, é como se fosse um tipo de carma ou algo assim. mas que você não perca a fé, não perca seu sorriso lindo!

você é linda, e merece tudo de melhor nessa vida, e é como dizem..'Deus não demora, capricha!'

vai dar tudo certo!
beeeijo

Lulu on the sky disse...

Meu ano também não foi bom e tenho fé que em 2012 tudo vai melhorar.
Força e meus sentimentos pelo seu avô.
Big Beijos

Anônimo disse...

Difícil olhar para o que vc escreveu e tentar traçar algumas palavras para que possa encorajar. É mais fácil concordar e ficar quieto do que conceder um pouco que seja de paz em seu coração.
Tudo tem um porque, tudo tem uma razão, não há nunca em lugar algum ações criadas pelo acaso.
Conceda a si própria a abertura para compreender. mude o termo porque.
Definir o porque dos fatos é um tanto egoistico e ao mesmo tempo conformação.
Entender as nuances que a vida produz é conseguir produzir para si mesmo um sentido e por isso devemos perguntar para que.
Para que estou vivendo isso? o que tenho que aprender? qual o significado que posso levar sobre a vida quando me deparo com a morte?

Mude o tom de sua pergunta para algo mais ativo e sinta-se parte do universo que transforma e age no sentido de nos propor uma lição ou aprendizado.

Entenda onde você se encontra no ciclo ocasionado por tais acontecimentos, prponha a si mesmo uma auto análise de forma a projetar em seu íntimo a conclusão de um ciclo e a possibilidade de abertura de outro.
Se dê a um momento de entedimento sobre o que aprender para daí vim de fato a colher o que quer conhecer.

Anônimo disse...

QUE DÓ
QUE DÓ
QUE DÓ !!!
TO COM VONTADE DE ÍR AÍ,TE DAR UM ABRAÇO!

.Intense. disse...

Estava ontem ainda conversando com mãe sobre isso: ficou demais, não dá pra dizer que 2011 foi um ano nem 'mais ou menos'. Foi ruim e pronto. E, o mais desesperador é saber que ainda tem 02 meses pra ele acabar. E que na vibe otimista que eu tou, é meio difícil esperar algo bom dele. Na verdade, estou exatamente como você: sem esperar nada bom, nem ruim, apenas que ele ter-mi-ne. Não sei se mudar a folhinha do calendário vai fazer tanta diferença, mas que pelo menos renove nossas esperanças e nos faça ver tudo com os olhos mais doces.

Quem nos acompanhou de perto esse ano, Ju, sabe que tanto pra vc, quanto pra mim (e pra muitas outras pessoas), 2011 foi cruel. O interessante é que a gente ainda tá aqui, de pé. Vamos continuar.

Ô menina, veja bem…Ouça uma boa música, leia um bom livro e bola pra frente. Pode parecer clichê, mas funciona. Vá por mim.
Caio Fernando Abreu


Vi hoje num blog por aí e, lembrei de vc.

Pergunta: de qual dos anônimos vc gostou tanto? Tem um que é um piadista, né? hahahahahah

;****

Te amo.
Sempre.
s2

Lya Gomes disse...

Já te disse que eu sei a sua dor, em nivel e intesidade, perder alguém que amamos é aprender que só as lágrimos aliviam a saudade.
sobre não esperar mais nada de 2011, não estou te reconhecendo, nunca foi pessimista. pq isso tudo? 2011 ainda não terminou ainda temos 58 dias que podem mudar as nossas vidas.
te amo pra sempre!
e sempre estarei aquii..
bju

Jady disse...

Na maioria das vezes, é exatamente nesses momentos em que tudo parece perdido, que as luzes iluminam o caminho mas, para isso, você precisa acreditar.

Esteja atenta.

beijo e fique bem.

Anônimo disse...

A morte nos faz perder alguém?
depende do ponto de vista. Se pensarmos na morte como uma viagem é diferente de tê-la como o fim de tudo.
Prefiro entender a morte como uma viagem, alguém partindo para um lugar em que o telefone, na maior parte das vezes, só toca de lá para cá.
É como uma pessoa próxima fosse a um lugar que não sabemos como é ou não nos lembramos como seja, apenas sabemos que existe e que não tem, por um período certo, acesso por meio de um canal para conversarmos e sabermos como essa pessoa está.
A medida que o tempo passa vamos conhecendo e percebendo que o canal existe e então entramos no caminho da fé como fonte certificadora de que a vida continua.

Construir esse entendimento é uma quebra de paradigmas mas uma vez feito nos encoraja a perceber que o mundo não há somente entre nós encarnados mas há de forma muito mais vivo e intenso entre os desencarnados.

Fé.

Anamyself disse...

Nossa, Ju... Que barra pesada que você tem enfrentado!

Tenho tanto medo de perder as pessoas que amo... Tanto medo... Nunca perdi ninguém tão próximo, então não sei medir a dor direito.

Só o tempo, mesmo. Mas sarar, nunca sara. Aquele buraco fica pra sempre... E só nos restam as boas lembranças...

E muita força pra você. As recompensas virão! (Esperamos...)

Anônimo disse...

Meus sentimentos!
A Septicemia foi proveniente de que??? Fico preocupado, pois já ouvi falar em muitos casos.. E isso assusta!
Principalmente, por se tratar de um rapaz, como vc disse, saudável e sem vícios.. Muito triste!!!!

Força p vc!!!!! Deus te ilumine!!!!

Jullyane Teixeira disse...

Anônimo [4],

A septicemia foi em decorrência de uma pneumonia grave. Enfim.

DvD Raros disse...

Eu estou passando por um problema parecido em que desde Janeiro deste ano só me acontecem problemas, não vou citar todos mas o que mexeu comigo foi a separação da minha esposa em um casamente de 16 anos e com uma filha de 14 anos. Estavamos bem , passamos o ano novo de 2010 juntos de repente começa janeiro/2011 ai começam a reviravolta em minha vida. Sentimentos começam a diminuir, sentimentos acabaram até chegar o fim do meu casamento. Sofri muito nos meses iniciais e ainda tenho umas recaidas as vezes e fico muito deprimido, não tenho cabeça para começar um novo relacionamento não iria dar certo mas ainda espero que possamos conversar e tentar voltar. Não estamos com niguém mas o sentimento é meio parecido com a morte quando no relacionamento há amor, vc não vê a pessoa, não fala com a pessoa, não toca a pessoa, e pior ou melhor, sabe que ela está viva mas no momento não quer nem saber. Estou passando uma barra. Deixo aqui meu relato e oro por todas as pessoas que estão passando por uma dificuldade na vida, a única solução e orar muito e pedir a Deus, mas peça para os outros que estão também precisando de ajuda, isso vai aliviar e com o tempo Deus agirá sobre sua situação. Fiquem com Deus!

Bel disse...

Lindona, fiquei uma semana sem acesso direito à net, e só li isso aqui hoje...
Sinto muito por todas essas perdas... e me vejo numa situação muito parecida, pedindo a Deus misericórdia, porque desde 2009 que as coisas só pioram. Mas, enfim... Emfim.

Não tenho o que dizer, só oferecer colo.

Beijoooooooooo

Anônimo disse...

Olá pessoal, o ano tb foi muito ruim para mim. Estou esperando ele terminar sem esperança de coisas boas, pois fiz tive fé, pensamentos positivos, etc... e nada deu certo. Achei melhor não esperar por nada assim não fico frustada e acho que ano é bom para alguém para os que estão com esse ano ruim são mudanças nos caminhos e aprendizados.Lembrei da musica do Tim Maia que um nasce pra sofrer enquanto outro ri...