segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

.o grande encontro.

Eu sei que tem muito tempo que eu devia ter postado sobre esse momento, mas, pode parecer clichê, vocês não fazem ideia do ritmo frenético que anda a minha vida. É a pura verdade, não tenho outra desculpa, claro que tem sempre alguns momentos livres, mas precisamos ter prioridades e, tem sido complicado colocar em dia o meu 'lazer virtual'.

O que eu posso dizer senão que foi emocionante e único? Encontrar Michelle no aeroporto de Uberlândia, dar aquele abraço tão esperado e ir papeando a viagem inteira até Uberaba, enquanto matava a Daniela e a Patrícia de expectativa, avisando a cada brechinha de sinal que eu tava perto, perto e mais perto: não há palavras para descrever a emoção, vou tentar resumir, mas, acreditem, não vai chegar aos pés da realidade.

Chegamos em Uberaba e fomos direto pro apartamento da Patty, ela nos aguardava com um lanche super farto e toda preocupada com minha dieta, comprou várias coisinhas que eu podia comer, ao mesmo tempo que ficava aflita porque, segundo ela, eu não comia nada, rs. Fui super bem recebida pela marido dela, Jefferson, que nos deixou super à vontade e foi um muito atencioso, um querido. Papeamos demais, era tanto assunto que não acabava mais e acho que conseguiríamos passar uns bons dias nesse mesmo ritmo. Eu sei que é difícil para as pessoas entenderem como nós éramos tão amigas se nunca havíamos nos visto antes, mas, entendam, nós trocamos cartas, às vezes, semanais, por cerca de 5 anos, vivemos nossas adolescências juntas, numa época em que internet e telefones com crédito (ou facilidades pra ligar ddd) eram privilégios que nós não tínhamos acesso e acreditem, vivemos MUITA coisa juntas, dividimos muitas experiências, descobertas, momentos difíceis. Nossa amizade sobreviveu à nossa vida adulta, aos inúmeros compromissos, aos relacionamentos sérios e muito mais. Seria tão fácil seguir a vida, perder o contato, deixar pra lá, mas quando a amizade é verdadeira, ela supera tudo isso, com prazer. Usamos email, telefone, msn, blogs e redes sociais. Planejamos, nos frustramos, esperamos, e, enfim, nos encontramos. Tudo bem, foram apenas 2 dias e meio, mas foram inesquecíveis, passaram voando e deixaram lembranças de momentos lindos e uma saudade doída, enorme e muita vontade de repetir a dose, com mais tempo, sem tanta pressa.

Mi - vivemos tantas coisas juntas, que é incrível que nosso primeiro abraço tenha acontecido 11 anos depois da primeira carta

Patty - e quem diria que aquela primeira carta nos levaria até esse momento?

Combinei de dormir na sexta na casa da Patty e ir no sábado à tarde pra casa da Dani, ficar até domingo e à noite, voltar pra Uberlândia, e, como elas não se conheciam, exceto por um breve contato que tiveram por indicação minha, não achei nada demais Dani não ir me ver no apartamento da Patty, mas elas me armaram uma surpresa, combinaram de avisar onde iríamos passear (Toca da Tábua, uma churrascaria, onde eu só tomei suco de laranja, rs) e que a Dani nos encontraria lá. Vocês não tem noção da minha surpresa quando ela apareceu, tipo, demorei uns segundos pra entender e acreditar. Dani tremia muito e eu a abracei muito forte, ela é uma pequenininha linda, vocês não tem noção. Depois ela sentou ao meu lado e ficou encantada comigo, passava a mão no meu cabelo, me chamava de linda e não parava de tremer. Logo, estávamos todos entrosados e a conversa fluía como se já tivéssemos vivido muitos momentos iguais àquele.

Dani - amor de longe, assim, bem pertinho!
Amadas!
 

Não fomos embora muito tarde, mas papeamos até altas horas da madrugada, o que não nos impediu de acordar relativamente cedo e ir passear pela cidade. Eu amei o mercado, cheio de coisas lindas e maravilhosas, inúmeras gordices que eu queria levar pra casa. Também passeamos no shopping, conhecemos a Uniube e Jeff fez questão de me levar pra conhecer o Uberabão, estádio da cidade. Voltamos pra casa bem tarde, Patty fez um almoço delicioso, super especial, sempre regado a muito bate papo, lembranças e muitas risadas. Não resisti: saí da dieta e aproveitei a boa comida e as ótimas companhias. À noitinha, todos foram me deixar na casa da Dani, que já estava agoniada com a minha demora, mandando mil mensagens de texto. Como era de se esperar, caímos no choro. Nossos laços fortalecidos, a saudade exponencialmente multiplicada pelo nosso breve - mas intenso - contato.

Mercado Municipal de Uberaba


Uberabão
Piauí pertinho do coração
Dotes culinários da Patty

Cheguei na casa da Dani e já fui super bem recebida por Kiki e Danda, latindo furiosamente, como se tivessem tamanho para tal, mas logo elas estavam pulando em cima da cama e querendo cafuné. Tia Zezé, mãe da Dani, foi um capítulo à parte. Sempre ouvi Dani falar dela com carinho, mas não tinha noção de como alguém podia ser tão fofa e querida, super preocupada em fazer tudo pra nos agradar, super interessada em todas as fofocas e super cheia de histórias pra contar. Chateadíssima de ter esquecido de tirar foto com ela (eu até pedi, mas ela ficou de 'se arrumar' pra tirar e nunca aconteceu), mas tudo bem, vou ter mais motivos pra voltar. Ficamos papeando um monte até termos coragem de nos arrumar pra sair, fomos no Grelhados Zebu, pois Dani não me perdoaria se eu saísse de Uberaba sem provar o que a cidade tem de melhor: as vaquinhas. Depois fomos ver uma banda de uns amigos dela tocar, num pub chamado Markinhos Vídeo Bar e lá mais babados, regados à água com gelo e limão (acredite quem quiser, rs), além de provocar transtornos nos relacionamentos alheios em virtude da nossa beleza incontestável (fazer o que, né?). E é claro, que mesmo chegando em casa de madrugada, ainda fomos contar todas as fofocas pra tia Zezé.

Mil vezes amor
 Agora ela não precisa saber geografia pra saber onde o Piauí está!
Grelhados Zebu
Não escondo a felicidade (nem o cansaço)
Neón
Markinhos Vídeo Bar
Um toque de unhas vermelhas em Uberaba

Não sei se vocês sabem o motivo pelo qual eu amo tanto a Dani. Acho que não, porque, pra ser sincera, nem a gente sabe de verdade como começou. Sabemos que nos achamos no mundo virtual, mas nem lembramos bem quando, só sei que foi no final de 2008 e depois disso, nunca mais nos largamos. É incrível a nossa sintonia, como a gente se gosta, se dá bem, conversa sobre tudo - e nada, quer e precisa da companhia uma da outra, mesmo que de longe. Não tem explicação, a Dani é um daqueles amores que a gente não sabe explicar de onde veio porque parece que ele sempre esteve lá.

Passeamos um monte na cidade, conheci uma igreja que é super especial pra ela, que tem uma fé muito marcante, visitamos a famosa Coca, mesmo que só por fora, compramos minha passagem para Uberlândia com dor no peito, já nos agarrando aos últimos instantes da minha estadia em Uberaba. A tia Zezé me fez uma 'marmita' de pão de queijo - o melhor do mundo todo! - pra eu levar na viagem, me emprestou mala, porque a minha não cabia o monte de coisas que comprei (e ainda não enviei de volta, rs, mas vou, prometo!) e ainda foi junto com Dani me levar na rodoviária, quando desabamos a chorar incontrolavelmente sem acreditar que eu já tinha que ir embora. Fui chorando boa parte do caminho, sem me importar com a atenção que estava chamando, com o coração feliz demais pelos momentos lindos e triste demais também, pela incerteza do próximo encontro.

Dança da motinha
Coca-Cola Uberaba
Ipê roxo
 Juntinhas
Flor
Grandes momentos em pequenos instantes

Ah, esqueci de contar que levei uma lembrança que é a cara do Piauí: um colar de prata com um pingente de opala no formato do estado do Piauí. Quem nunca ouviu falar nessa pedra preciosa e quiser dar uma olhada de como ela é linda e multicolorida, é só clicar aqui. O mais engraçado de tudo é que eu avisei a Mi e Patty que o pingente era no formato do meu estado e elas disseram que tinham percebido, mas pensei: 'essa informação com certeza vai ser útil pra Dani!', e, como eu havia previsto, ela riu horrores do fato de não fazer a mínima ideia do formato do Piauí!

Ganhei presentes lindos das meninas, Dani me deu um kit da Coca Cola e uma bonequinha japonesa que ela comprou em SP pra mim e Michelle, me deu um livro da Virgínia Woolf, que eu amo, uma das mais célebres feministas atuantes do século XX. Mas o melhor de tudo foi o carinho, amizade, cuidado e amor que senti em todos os momentos ao lado delas, saber-me tão querida, por pessoas tão incríveis, tão diferentes uma da outra, que moram tantos km distantes de mim é algo imensurável e que me toca de uma forma muito profunda e doce. 

Kit da Coca Cola
Bem a minha cara!

Aguardando os próximos capítulos do encontro de almas com essas pessoas tão maravilhosamente importantes e queridas para mim. Patty, Dani e Mi, amo vocês muito, viu?!

Posts relacionados:

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

.meu coração tá feliz.

Milhas e milhas distante do meu amor...

Eu sei que vocês já repararam que eu tô apaixonada, feliz e rindo à toa. E não tem mesmo outra coisa pra dizer, é isso, felicidade daquelas que a gente até fica meio boba e demora pra acreditar. Não que eu não tenha os meus momentos de insegurança, dúvidas e receios, mas no fim das contas, resolvi ter fé novamente, dar uma chance pra essa pessoa tão linda que só me traz coisas boas.

Charles conseguiu me ganhar de uma forma muito intensa, do jeito dele decidido de ir atrás do que quer, sem pensar muito nos poréns. Conseguiu vencer todos os argumentos com os quais eu me armei para não querer apostar em nós e desde então, estarmos juntos não é opção, é uma escolha consciente de duas pessoas maduras, que compreendem que amar é um risco e estão dispostas a enfrentá-lo.

É claro que sempre tem um mas e o nosso é a distância. Parnaíba e Rio Branco estão em extremos do país, as passagens são caras e não há tantas opções. A saudade é tanta que dói e usamos todas as tecnologias ao nosso favor, para minimizá-la. O ciúmes é aquele monstrinho verde que quer se infiltrar nos piores momentos, mas que tentamos relevar de forma tranquila. Sabemos quem somos e o que queremos, nem sempre é fácil, mas enquanto a gente receber em troca sentimentos tão bonitos, tanto carinho, cuidado, cumplicidade e entrega, iremos lutar, afinal, é isso mesmo que somos.

Tantos planos, promessas e possibilidades nos esperam, afinal, nossos objetivos são muitos, mas o melhor de tudo é que não importa muito como vamos fazer para estar juntos plenamente, se tivermos certeza que é isso que o outro também quer, de todo o coração. Por que ter é isso mesmo: confiança, esperança, fidelidade. E eu acredito.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

VII CONSUB


Admito que estou muito relapsa com as atualizações do blog, é que a minha vida tá mais corrida do que o de costume (o que já não é pouca coisa), mas adianto que está tudo muito bem, aliás, mais do que isso, está tudo ótimo comigo, em todos os sentidos. Meu coração tá feliz, meu corpo tá saudável (mais magro e liiiindo, fruto de muito esforço e determinação), meu trabalho tá tranquilo, sou a nova coordenadora da subseção do Sintufpi, em Parnaíba, as aulas do curso de inglês estão um pouco atrasadas, mas nada que seja irrecuperável, tenho uma viagem programada pra Rio Branco, pra conhecer a cidade e a família do meu preto e estou planejando tanta coisa para o ano que vem, que as ideias me atropelam.

Mas, voltando ao CONSUB, fui com uma colega da UFPI, Karol, que também foi minha colega na faculdade de Secretariado Executivo. Ficamos no Sara Palace Hotel, que é bem confortável, tem um preço razoável, próximo ao Center Shopping e fácil de se localizar e locomover, já que tínhamos um ponto de integração em frente ao hotel, a Estação UAI (íamos do ponto 11 ao ponto 4, em uns 7 ou 8 minutos, rapidinho!).

Estação Uai
Esperando o ônibus
 

O Congresso das Secretárias das Universidades Brasileiras esse ano foi em Uberlândia-MG e eu ameeei a cidade! O evento foi num centro de convenções super chique (Center Convention) e que, além disso, ficava dentro de um shopping (Center Shopping), o que deixou a mulherada louca, rs. Encontrei Denille, minha querida amiga, também dos tempos da faculdade de Secretariado, com outras amigas dela da UnB (pra onde ela foi redistribuída). Claro que aproveitamos para colocar a fofoca em dia e passear na cidade, pelo mercado municipal (onde comprei muitas gordices para trazer pros amigos e família) e nas redondezas do evento. Encontrei outros amigos, que conheci no Congresso da Fasubra, Rafael (UFRGS) e Mário (UFU), que em meio a tantos movimentos sindicais, eu nem sabia que também eram secretários.

 Eu
Karol, Den e eu
Mário

O evento foi super bem organizado, umas poucas gafes na solenidade de abertura, mas que não deixaram a desejar em relação aos outros congressos. Tivemos apresentações culturais muito boas, um material chiquérrimo e útil - diga-se de passagem!, boas palestras e um coffee break razoável (segundo as meninas, porque eu não comi!). Além disso, o número de congressistas foi recorde, cerca de 1100, contando também, com uma participação cada vez maior de profissionais do sexo masculino, o que gerou discussões (não conclusivas) acerca de uma possível mudança no nome do evento para Congresso de Profissionais de Secretariado das Universidades Brasileiras, com o qual eu concordo totalmente, já que o mais importante é não discriminar nenhum profissional, seja por que motivo for.
                                                           Mesa de abertura do evento
Udi Cello Companhia de Cordas
Auditório lotado
Chocolatinhos de brinde
Pasta muito chique
Bloquinho super lindo
Presença confirmada
Secretárias reunidas
Mercado Municipal de Uberlândia
Kits
Cachaças e temperos
Gordices
                                                                     Karol, Den e eu
Faceira
Apresentação cultural: coral de vozes infantis
Den
Encerramento do evento com coquetel...
...e apresentações culturais
Make up

É claro que também passeei um monte pelo shopping, comprei um monte de coisas (adorei a Barred's!) e me encantei com as livrarias (meu vício, confesso!), principalmente a Saraiva MegaStore, pela qual eu tenho uma paixão platônica, já que não tem nenhuma no meu estado.

Olhinhos brilhando!

O evento foi excelente e já tô ansiosa pelo próximo, que vai ser em Curitiba-PR, em 2014. Lembro quando anunciaram em Porto Alegre que o próximo evento seria em Uberlândia e eu enviei sms pra Dani dizendo que nos encontraríamos, já que Uberaba é muito próxima de Uberlândia e, na ocasião, parecia tããão longe e, é claro que muita coisa aconteceu, mas, de repente, já era o dia do grande encontro. 

Só que isso é assunto pra um próximo post, em breve, prometo!

Beijo, beijo!

Posts relacionados