sábado, 21 de abril de 2012

.sobre o XXI Confasubra.


Eu já contei tudo o que aconteceu de politicamente importante no Confasubra no Informação Sindical, mas como não cabe o pessoal por , vim contar um pouco pra vocês sobre os dias incríveis que passei em Poços de Caldas - MG. Chegar num congresso da magnitude do Confasubra assusta um pouco, mas é tão incrível que o frio na barriga é daqueles bons. Na verdade, incrível foi a palavra de ordem desse congresso: lugar e pessoas incríveis. Sem contar da convivência, do aprendizado, da experiência. Tudo incrível!

Primeiro, a cidade. Poços de Caldas é linda! Uma cidade serrana toda organizadinha, bem iluminada, com ruas largas e um clima ameno. O hotel do evento, Golden Park, é uma beleza também. Na verdade, os mais de mil congressistas foram distribuídos em cinco hotéis da Rede Nacional Inn, com as despesas de hospedagem, alimentação e locomoção para o Hotel/Cenacon all included.

É claro que eu comi demais: comida mineira e queijo branco com doce de leite de sobremesa é golpe baixo em qualquer dieta, né? Aproveitei muuuito!

Vilage
Golden Park ao fundo

Aprendi muito, tive aulas intensivas sobre política, conjuntura, articulação, mobilização, companheirismo, responsabilidade e força sindical. Tudo junto, misturado e sem sequência lógica. Na prática, que é onde conta mais. E com o apoio de pessoas experientes, inteligentes e engajadas no movimento, mas ao mesmo tempo, disponíveis para ajudar quem está iniciando.

Falando sobre a experiência de ajudar a contruir a CSP Conlutas, no Piauí

Fui como a única representante, na minha delegação, do coletivo Base, que é a frente de esquerda dentro da Fasubra e apesar das brincadeiras sugestivas, fui bastante respeitada pelos meus conterrâneos 'Tribais', até porque fui com minha posição muito bem definida. Chegando ao Congresso, me juntei com as pessoas do Base/CSP Conlutas, que eu tinha contato pelas redes. Além de muitas outras pessoas de outras correntes ou que não eram ligadas a nenhuma delas. Pensamentos, conceitos, ideias e análises diferentes acerca de um mesmo cenário. Uma explosão de diferentes perspectivas. Incrível, incrível, incrível. Não tem como eu dizer o quanto foi gratificante para mim. 

Orgulho em ser CSP Conlutas
André, meu pelego favorito!
 Visual novo, vocês curtiram?


Márcio - Paraná
Fabinho - Rio de Janeiro
Lena - Paraíba
Dircélia - Pará
Marcelino - Paraíba

 
Simea - Minas Gerais
Gibran - Goiás
 Barela - Rio Grande do Sul
Lenilson - Pernambuco e Mirtes - Minas Gerais
O casal Vânia e Doni - São Paulo
 
Chapa 3 - Oposição Unificada

Fábio - Sergipe
CSP Conlutas

Esse Congresso vai ficar marcado para sempre na minha vida, um divisor de águas, um aprendizado intenso e maravilhoso, um catalisador para as lutas futuras. Agradeço a todos os companheiros da minha base que confiaram em mim para realizar esse trabalho e a todos os militantes que conheci durante essa semana, que contribuíram (e ainda vão contribuir) muito para o meu processo de formação sindical.

Foi incrível!!!

Os posts com as avalições sérias estão aqui:

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Cansei



Se eu digo que eu cansei de você, acredite, foi de tudo. Não sou sua mãe, tampouco sua namorada, há muito tempo, nem mais o objeto do seu interesse. Não tenho obrigação de lembrar seus compromissos, de cuidar de você quando está doente, de te acompanhar em lugares em que você não quer ir sozinho. Eu preciso resgatar meu amor próprio, sabe? Eu costumava ter um.

Quando a gente está perdida assim, não adiantam os conselhos, por melhores que sejam. Eu tentei me livrar dos sentimentos, mas a convivência atrapalha demais. Às vezes, a gente precisa de um baque para entender que não tem como levar numa boa. Não, você não pode ter tudo. Sim, você está exigindo muito de mim quando pensa que eu acho legal te dar conselhos amorosos.

Não entenda mal, eu quero de todo coração ser sua amiga, talvez um dia eu consiga sem riscos, te juro que estou tentando a valer. Mas eu não tenho um botão de desligar os sentimentos, às vezes eles se embaralham, não tenho como controlar. O que a minha consciência quer, é uma coisa, o que eu me obrigo a presenciar, é outra.

Então, só pra você entender bem: eu cansei. Antes tarde do que nunca, diriam alguns. Você não precisa acreditar, nem eu vou te fazer promessas acaloradas ou provocar discussões sem sentido, você é inteligente, vai ver, vai perceber, vai entender. E apesar de tudo, pode ter certeza que eu sei que você vai sentir muito a diferença, não porque goste de mim de verdade, mas porque tem essa capacidade infinita de me querer sempre à sua disposição.

E sabe o que mais? Eu entendi muito bem a deixa. Pode ter certeza que eu vou pensar em mim primeiro, de agora em diante, porque é só o que você tem feito esse tempo todo. É a minha vez de ser egoísta, não vou abrir mão disso. Cansei de ser boazinha, aquela que todo mundo sabe que pode contar. Não quero ser educada, não quero pensar se as minhas atitudes vão ofender, eu não quero mais me preocupar com os seus problemas, Deus sabe que eu já os tenho demais.

Eu cansei de lidar com suas dúvidas e medos. Cansei de ser a amiga perfeita. Cansei de ser a pessoa que você recorre para tudo e qualquer coisa. Cansei de tentar me adequar à complexidade da nossa situação. Cansei de ouvir sobre as suas teorias. Cansei de ser tão incrível e ainda assim não ser suficiente. Cansei de verdade de tentar entender como você pensa, mas, acima de qualquer coisa, cansei de procurar desculpas para as suas atitudes. Não é que você não saiba o estrago que faz, você só não dá a mínima pra isso, contanto que eu esteja lá. Pois adivinhe só? Eu cansei.

(Só para esclarecer aos desavisados: o marcador 'crônicas' quer dizer que os textos são fictícios e não correspondem à minha vida pessoal)

quinta-feira, 5 de abril de 2012

.meu novo amor eterno.


E para quem ainda não viu o meu neném, esse é o Marx, o cachorrinho que eu adotei. Largaram uma ninhada de seis cãezinhos na porta da casa da Carol e ela se comprometeu a achar um lar para todos eles. Levou no veterinário, deu banho, remédios, comida e em menos de dois dias todos foram adotados. Não vou dar uma de boazinha, não era de qualquer cachorro que eu gostava, admito, só os que eu conhecia e sabia que eram bem cuidados e limpinhos (como as duas cadelinhas da Carol - Puma e Molly, que eu adoro!), eu nunca tinha criado um cachorrinho, achava que dava muito trabalho e exigia certa dedicação, e apesar de tudo, nunca gostei que maltratassem nenhuma espécie de animal. Mas, confesso, o Marx me ganhou só no olhar, me apaixonei por ele à primeira vista!

Ele é mestiço, ninguém sabe muito bem de que, mas tem cerca de um mês e meio e pesa 1 kg todinho. Vai ficar pequenininho, eu sempre adorei raças de pequeno porte, quero um companheirinho. Ele me segue pra toda parte, da hora que eu chego em casa até a hora de dormir e chora quando eu tenho de ir pro trabalho. É um danado, carrega meus sapatos, come meus chinelos, ainda está sendo treinado para fazer suas necessidades no lugar certo, mas me traz uma alegria que me deixa boba. Além da preocupação, é claro. É incrível como a gente se apega a essas criaturinhas. Né?

Muito amor ♥

Beijo, beijo!

segunda-feira, 2 de abril de 2012

.e o ano começou de verdade.

Abril vai ser um mês super atribulado. Semana Santa chegando aí e a minha família estará em Parnaíba, aproveitando o feriado para curtir praia, sol, ventinho no rosto, reestabelecer as energias com um banho de mar no nosso litoral lindo demais. Vai ser uma confusão, a casa cheia de gente, família barulhenta, no melhor estilo. E tem coisa melhor?

A maior novidade é que depois de defender a tese do coletivo Base, fui mesmo eleita delegada representando Parnaíba, para o Confasubra (Congresso da FASUBRA), o que quer dizer que estarei em Poços de Caldas, Minas Gerais, no período de 10 a 15.04. É uma oportunidade tão maravilhosas para mim que vocês nem fazem ideia. Vou conhecer pessoas muito experientes na militância, além dos amigos que já fiz pelas redes sociais e internas do Base. Vou ter um curso intensivo de sindicalismo atuante. Vou compreender e me engajar ainda mais em defesa da minha categoria e dos nossos direitos. Tô ansiosa, animada e com frio na barriga, daqueles dos bons.

Dia 20.04 tem o casamento da minha amiga (e dentista), Juliana, e eu vou ser madrinha de novo. Vocês sabem que eu adoro ser madrinha, né? E as minhas amigas me amam, fazer o que? Já tô planejando o vestido, a noiva pediu que todas as madrinhas fossem de vermelho e eu amei, óbvio. E para ser ainda melhor, Daisy vai ser daminha de honra e está toda convencida, contando pra todo mundo que vai usar um vestido de princesa. PENSEM.

E pra encerrar o mês, de 28 a 30.04, em Sumaré, São Paulo, acontecerá o 1º Congresso Nacional da CSP Conlutas e eu vou, junto com meus amigos e companheiros, Jáder e Danniel. Vai ser uma delícia também. A gente chega há tempo para o Encontro de Mulheres da CSP Conlutas, no dia 27.04. E fica até o dia 01.05, para participar de um grande ato do Dia do Trabalhador, na capital São Paulo. Vai ser incrível.

Isso sem deixar de lado o trabalho na UFPI, o GEMP (Grupo de Estudos Marxistas de Parnaíba), o curso de inglês, a família, os amigos, afilhados, meu novo amor eterno: um cachorrinho que eu adotei, o Marx (qualquer hora dessas mostro foto dele aqui). E o trabalho diário e incansável na construção do movimento: Sindicato, Central Sindical, Partido. Eu sei que a maioria das pessoas vê tudo isso como um trabalho enorme, um esforço que não vale a pena, mas para mim é um prazer, é algo que não consigo viver sem. A militância não exige de mim o que eu não posso dar, eu que dôo de bom grado meu tempo, minha vida e disposição em favor das minhas ideologias. Não é sonho, não é utopia, será realidade um dia e é por isso que eu luto e acredito num mundo melhor.

Essa é a minha vida e como eu sou feliz e orgulhosa pelo que realizo com ela. É isso o que vai ficar quando eu não estiver mais aqui, tudo o que contribuí para tornar real um sonho de liberdade e igualdade entre as pessoas.

'Todas as revoluções são impossíveis até se tornarem inevitáveis'
(Leon Trotsky)

Beijo, beijo!