segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Amigo Secreto da Laje 2013

Como já é tradição, todos os anos nos reunimos para celebrar nossa amizade, entre um seleto grupo de blogueiras (algumas até se conhecem fora do mundo virtual) super queridas com um animado Amigo Secreto, esse ano tivemos a baixa da Ana e da Patrícia, mas a primeira participou praticamente de tudo, só não ganhou (nem mandou) presente, mas já garantiu a participação pro próximo. Olha lá, hein, Ana? Você fez muita falta na nossa brincadeira! Então, estavam na disputa: eu, Dani, Bel, Anabel, Ju Rodrigues e Lile.

Esse ano foi consensuado que iríamos enviar os presentes em janeiro, o que, na minha opinião, não deu muito certo. Considerando os nossos atrasos, que já são de praxe, mais o descaso dos correios, o resultado é que aqui estamos, praticamente em março, ainda emboladas com a revelação do AS. Então, fica aqui o meu apelo, vamos voltar pra dezembro, meninas? Muita aflição adiar o envio e a revelação dos presentes!

Adoro participar dessa brincadeira, ficar imaginando quem que vai me tirar, o que eu vou ganhar, receber os bilhetinhos, todo o carinho e cuidado, não tem preço. E esse ano, tive uma surpresa maravilhosa, porque, afinal de contas, eu quase sempre erro o palpite de quem me tirou. Nunca na vida adivinharia que meu presente viria de Uberaba! Isso mesmo, quem me tirou foi a Dani!

Recebi o presente do carteiro, claro que é o mesmo que vai pegar o malote na UFPI e é claro que eu estava de camisola super sexy #sqn again. Não é o mesmo de outros tempos, meu velho amigo que até me ligava pra dizer que as encomendas tinham chegado, mas o que era meio chatinho e de cara amarrada que não gostava de mim, só que hoje já é meu brother e fica se lamentando porque eu vou embora. Recebi a encomenda e foi todo um ritual, coloquei a caixona bem no meio da sala e fui tirando fotos, desempacotando com cuidado, morrendo de amor a cada descoberta.

O que será?
Embrulho super bacana
 
 Fofurices
 

O presente foi da Imaginarium - que eu adoro! - que sempre tem coisas tão fofas e eu sou aquela pessoa que ama penduricalhos. Ganhei um cubo com fotos personalizadas, que a Dani fez questão de selecionar, de momentos que ela acha importante pra mim ou fotos que ela acha que me caracterizam, como nosso encontro, minha formatura, a militância, a tatuagem no meu pé, Heitor, etc. E a coisa mais linda do mundo é que esse cubo fica girando, gente, vocês tem noção do amor? É uma lindeza só!!!

Daí que ganhei outras coisas, doce de leite na palha e doce de leite com chocolate (amo!), um chaveirinho de vaquinhas (ela sempre me diz que é o que Uberaba tem de melhor e eu gosto de pensar que como eu dei a Pão-de-ló pra ela, é meio que um símbolo da nossa amizade) e uma geléia de caipirinha (não me perguntem porquê, não faço ideia, rs), que eu ainda não provei, só o Égil, de metido.

Cubo mágico?

E, como não poderia deixar de ser, também veio a cartinha mais linda do mundo, cheinha de amor, carinho, confiança, amizade. São muitos anos (nenhuma de nós sabe o quanto ao certo) que nos amamos de longe, como se fosse perto, é muita história que compartilhamos, momentos bons e ruins, muito riso, muita lágrima, muito conselho, muita amizade. A Dani é aquela amiga que eu não sei explicar porque, só sei que é. Agradeço muito todo o amor que veio de presente pelos correios, mas agradeço ainda mais pelo que é intangível e essencial, como já dizia Saint-Exupéry, que é invisível aos olhos.

Cartinha cheia de amor

Já que a Anabel postou primeiro que eu, vou falar um pouquinho de como foi que escolhi o presente da AS que eu tirei. Foi uma saga encontrar o presente dela, já que ela não me pediu nada, não me deu nenhuma dica e eu já tinha dado tanta coisa pra ela (das quatro edições, tirei ela em três!). Nada era novidade! Enchi o saco da Jady e da filha da Anabel, por tabela. Pensei em dar sapatilhas estilizadas lindas da Miallegra (dica de presente pra mim, n.º 37, please, hahahaha), mas descobri que ela não usa sapato fechado. Me embananei toda de novo. Depois de incomodar meio mundo de gente e de visitar vários sites, pedi um livro que não tinha mais no estoque do Submarino (sobre fotografia digital, super bacana) e por fim, segui a dica da minha amiga fotógrafa Dayne Dantas, que me sugeriu Sebastião Salgado (ela disse que era sem erro e comprovei). Juntei mais umas fofurices, lápis coloridos para a coleção dela, um super clipe de borboleta e a cajuína que os correios entregou quebrada, ano passado. Fiquei super feliz porque ela adorou e fez um post lindo contando tudo, é só conferir aqui.

 Para Ilhéus, com amor

E assim terminou mais um ano de Amigo Secreto da Laje, espero que venham muitos outros anos de brincadeiras, muitas surpresas boas e um estoque ilimitado de carinho!

Xêro grande pr'ocês, meninas!

Revelações:
Posts relacionados:

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

.forever is a long time.


Não sei dizer muito bem como estou me sentindo. A palavra geral é confusa, mas acho que não exprime muito bem. Eu sabia que ainda não tinha sido escrito o final definitivo da nossa história, mas achei que não haveria nenhuma surpresa ou reviravolta. Só em perceber que você sabe os meus motivos e entende os meus porquês, meu coração dá um pulo no peito.

Embora eu não tivesse aquela certeza absoluta, por questões de tempo, espaço e oportunidades, estava me encaminhando para ela, me sentia bem, serena, em paz com minhas decisões. Agora, não sei mais o alcance delas ou que esperar das minhas reações.

É tão estranho ninguém ver o mundo que levamos por dentro, toda a miríade de sentimentos que surgem num segundo, num olhar, numa frase, num momento, dentro da gente. Não sou dessas pessoas que expressam tudo o que sentem, escondo muita coisa, pra me preservar. Tenho toda uma ordem de prioridades, meu amor próprio e minha dignidade sempre estão à frente dos demais sentimentos. Os mais sentimentais podem me acusar de não conhecer o amor verdadeiro, então, mas eu sei muito bem de mim e do que sinto. Já aprendi a lidar melhor com o meu orgulho crônico, me preservando de algumas inconveniências, mas também abrindo mão de algumas coisas.

Não sou uma pessoa inconstante, embora mude muito de humores, minha essência persevera. Não sou aquela pessoa que vai viver em função de um relacionamento, tenho tantos interesses e preciso de outras pessoas na minha vida para ser feliz. Isso não quer dizer que não me dôo ao máximo, que não deixo claro que meu companheiro é uma prioridade também. O complicado é entender que esse "também" não o diminui em nada, muito pelo contrário, enriquece ainda mais nossa relação.

 Difícil enterrar o que ficou pra trás sem carregar um amargo no fim. Volta, revira, revive. Espero que a doçura não seja demais pro meu paladar cansado.
              

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

.eu também.


Daqui.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

.capítulos.


No meio das vãs esperanças das pessoas de que eu 'encontre o amor novamente', me perco. Não estou disposta a atender às expectativas de ninguém, nem quero dar explicações do que acontece na minha vida. Tão bom viver leve, tranquila e despreocupada. Viver pra mim, e só. Se apaixonar é bom, mas relacionamento é tão complicado, eu só não tô no clima. Pode ser que eu mude de ideia, pode ser que não, mas só cabe a mim decidir.