segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Nuances


Começou com os olhos que me enxergaram a alma, depois foram as palavras que me encantaram e divertiram, por último a barba espessa roçando minha pele. Foi daquelas coisas inevitáveis que a gente nem espera, até tenta resistir, mas só um pouco, porque sabe que amanhã ou depois, não adiantaria nada mesmo. De uma forma tranquila e leve me traz paz, me faz esperar uma mensagem no celular, me arranca um sorriso bobo.

Talvez não seja futuro, nem quero. Gosto de ser assim, novidade. Da intimidade se fortalecendo, das descobertas, dos encantos, não quero a toalha molhada em cima da cama ou as prestações vencendo no fim do mês. Acho que sou dessas pessoas que não nasceram pra ser a última história, mas aquela que é saudosa e encontra eco no coração.

Incrível essa sintonia expressa nos detalhes, na confiança dos segredos da alma, na vontade de experimentar, em sentir que pode ser você mesmo sem medo nem culpa. Eu sei que sou seu escape, quando ser quem você deveria se torna muito pesado, mas não ligo, gosto de ter um você que não é dos outros.

Um comentário:

Michelle Hellen Ramos disse...

Quero um desse pra mim tbm!Tem jeito? hahahahaha