segunda-feira, 7 de março de 2016

.de quando não cabe mais no peito.






Não consigo acreditar que tudo foi assim tão rápido. Mesmo que seus olhinhos pequenos e sua voz rouca tenham me chamado atenção desde aquele primeiro encontro, jamais imaginei que seria assim. Nem me preparei, só senti. Ainda bem que você não notou, meu nervosismo, meu rosto vermelho, meus olhares compridos. Como eu amei o seu sorriso, como pensei nele, como falei dele pra quem quisesse ouvir. Como olhei suas fotos querendo descobrir mais de você, querendo decifrar quem era essa pessoa por trás de todo aquele frio na barriga. 

Minha vida estava boa, organizada, tranquila, não me faltava nada. Você chegou e ocupou um espaço que eu nem sabia existir, mas tampouco me importei de te dar. Não evitei nada, te dei aquilo que eu quis e por você aceitar e me retribuir, eu quis te dar mais. Você me levou pra sua vida, veio pra minha, sem questionar, naturalmente, um tanto de cada vez. Porque queríamos descobrir juntas que encantamento era aquele.

Você é linda, de um jeito tão natural. Sensual, mas não ensaiado, nada alegórico. Inteligente, sem ser pretensiosa. Envolvente, por ser tão interessante. Doce, sem ser melosa. Gosto de sentir seu cheiro e me sentir em paz, gosto de dormir com você e te abraçar no meio da noite. Gosto de acordar e ver que você está lá, com os cachinhos bagunçados, os olhos sonolentos, o abraço quentinho e não tem nenhum outro lugar que eu gostaria de estar. 

Você me diz que a gente está no tempo certo uma da outra, que me olhou e pensou que eu era a pessoa que você esperava, que não consegue passar nenhum dia sem sentir minha falta, que eu tenho tudo o que uma pessoa pode ter de você. Eu rio boba, toda feliz. Tenho que me concentrar até nas pequenas coisas, porque só quero pensar em você, afinal de contas, somos adultas, temos tantas responsabilidades e ainda assim, o coração quando ama parece adolescer. Adora clichês, vê o ser amado em todos os lugares, mensagens subliminares em tudo o que lê, sorri sozinho de pequenas lembranças, olha a vida com olhos mais esperançosos.

Quero agarrar você em todos os lugares e fazer pequenas demonstrações de afeto só pra ver o seu sorriso tímido. Quero falar de você pros meus amigos e te citar em conversas aleatórias só pra sentir o gosto do teu nome na minha língua, quero ouvir músicas pensando em você, colecionar fotos nossas em álbuns manuais, comprar livros que você iria gostar e andar de mãos dadas só para me certificar que você está mesmo ali. Quero te contar da minha vida e dos meus sonhos, quero que você faça parte dos meus planos, quero conhecer o mundo com você. Não me importa a parte do mundo que não nos aceita, temos amor de sobra para distribuir e com você junto de mim não tenho medo de nada, vou preparada, pra ser feliz.


A gente fica mordido, não fica?
Dente, lábio, teu jeito de olhar
Me lembro do beijo em teu pescoço
Do meu toque grosso, com medo de te transpassar [...]
Deixa eu bagunçar você? Deixa eu bagunçar você?

(Zero – Liniker)

2 comentários:

Anônimo disse...

Que lindooo!Em poucas vezes vi o amor entre duas moças ser tão bem retratado, a sutileza do toque, a mistura de sensibilidade, tão própria do ser feminino, o cuidado, o amar e fazer sentir amado, o demonstrar amor de forma gratuita, só pelo prazer de ser e ver o outro feliz. Senti no seu texto a profundidade de um amor de verdade! Que seja eterno enquanto dure... Bom te ver amando e feliz, vc merece!

Bel disse...

<3 <3 <3